Estado

Cobertura de medicamentos oncológicos do Ipasgo supera lista obrigatória da ANS

Plano de assistência do Governo de Goiás oferece 123 tipos de medicações para o tratamento de câncer, 14 a mais do que o recomendado pela agência reguladora

Os usuários do Instituto de Assistência dos Servidores do Estado (Ipasgo) têm acesso a um rol de serviços para o tratamento de câncer que supera a cobertura obrigatória sugerida pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Na lista de medicações oncológicas cobertas há 14 medicamentos a mais do que o recomendado pela agência reguladora dos planos de saúde brasileiros. Ao total, são 123 medicamentos orais e injetáveis oferecidos pelo Governo de Goiás, por meio do Ipasgo.

Na cobertura do Ipasgo, os medicamentos que transpõem a lista da ANS, são: Acalabrutinibe, Anagrelida, Axitinibe, Ciproterona, Ixazomibe, Lenalidomida, Lomustina, Nintedanibe, Olaparibe, Osimertinibe, Regorafenibe, Vandetanibe, Venetoclax e Vismodegibe.

Seguindo as orientações do governador Ronaldo Caiado de fortalecer e ampliar a oferta de serviços em saúde, a tabela de medicamentos oncológicos do Ipasgo é atualizada com frequência para a inclusão de novas tecnologias em saúde.

Para integrar o rol de cobertura do Ipasgo, os medicamentos devem atender critérios técnicos e legais. Segundo o decreto 7.595, de abril de 2012, que regulamenta o Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado de Goiás, tratamentos não reconhecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não podem ser incluídos. A mesma regra vale para medicamentos e materiais importados não nacionalizados e também para os que a eficácia e a efetividade tenham sido reprovadas pela Comissão de Incorporação de Tecnologias, do Ministério da Saúde.

A análise das medicações é realizada pela Coordenação de Cadastro de Materiais e Medicamentos (Cocmmed), que avalia a eficácia, segurança, efetividade e eficiência dos itens, bem como a previsão de impacto financeiro dessas inclusões. O presidente do Ipasgo, Silvio Fernandes, diz que a tabela de oncologia do Ipasgo é extensa e completa. “Os usuários do plano de assistência, que necessitam de tratamento oncológico, são contemplados com medicamentos que ainda não estão no rol da ANS”.

Os prestadores de serviços credenciados ao Ipasgo têm acesso direto às atualizações da lista de materiais e medicamentos. Os usuários interessados podem solicitar as informações na Cocmmed.

Ampla cobertura

A cobertura de tratamentos oncológicos do Ipasgo é ampla e, além das medicações, contempla também procedimentos preventivos, como mamografia, colonoscopia, teste de Papanicolau (citologia cervical), pesquisas genéticas relacionadas a alguns tipos de câncer hereditários, exames laboratoriais e consultas em todas as especialidades médicas.

No rol de serviços há exames diagnósticos, como radiografias, ultrassonografias, tomografia computadorizada e ressonância magnética e endoscopias. Na lista de exames de medicina nuclear, estão  PET-CT, exames intraoperatórios e cintilografias e, entre os exames laboratoriais, destaca-se a pesquisa de marcadores tumorais e anatomopatologia.

Cirurgias convencionais e minimamente invasivas, como laparoscopias e toracoscopias, embolizações e procedimentos endoscópicos e percutâneos também são cobertas pelo plano de assistência, assim como  radioterapias inclui técnicas como radioterapia conformada tridimensional, radioterapias e quimioterapias.

Aos pacientes oncológicos, o Ipasgo oferece ainda transplante de médula óssea; procedimentos reparadores e de reabilitação, como reconstrução mamária após mastectomia e atenção multiprofissional, com psicoterapia, fisioterapia, fonoaudiologia e nutrição.

Fonte: Assessoria de de imprensa

Related Articles

Close