Política

Onyx Lorenzoni perde posto da Casa Civil e Bolsonaro convida general para o cargo

Ministro da Casa Civil será transferido para o Ministério da Cidadania

Por Gustavo Martins

O presidente Jair Bolsonaro transferiu o então ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni,  para ocupar o maior cargo no Ministério da Cidadania. Decisão dada após reunião realizada nesta última quarta-feira, 12, com o ex-ministro Osmar Terra, que resultou em sua demissão, segundo interlocutores, com informações do jornal O Estado de S.Paulo. O nome que irá substituir Lorenzoni, será o militar Walter Braga Netto, general da intervenção federal do Rio.

O efeito dado nas mudanças feitas na Esplanada dos Ministérios gerou o deslocamento e demissão de ministros das pastas do atual governo. As decisões do presidente foram tomadas a partir de uma reunião feita com o ex-ministro da Cidadania, Osmar Terra, que foi demitido devido crises internas com o governo, após desentendimento com a equipe econômica do governo desde o ano passado devido a discordâncias sobre a formulação das alterações no Bolsa Família.

Apesar dos desgastes com o presidente, Onyx foi indicado por Bolsonaro a aliados, em receio de ser interpretado como ingrato na possibilidade de demitir, e será deslocado para ocupar o cargo do ex-ministro da Cidadania, Osmar Terra.

Em Brasília, Bolsonaro convidou o general Walter Braga Netto para o cargo de ministro da Casa Civil. Chefe do Estado-Maior do Exército, e que comandou a intervenção federal no Rio de Janeiro em 2018, nomeado pelo então ex-presidente Michel Temer, o Braga Netto passa agora ser mais um integrante da pasta dos Ministérios, que serão comandadas,  inteiramente, de origem militar.

“Um homem muito preparado”, definiu um importante auxiliar do presidente após o novo escolhido para chefiar a Casa Civil. Disse que ele vai fazer no governo o que ele fez no Exército.


Análise
Protagonizando a crise política, Lorenzoni ainda ganhou uma sobrevida, após seu caimento com o governo que começou a ser anunciada quando uma crise se formou no seu ministério, ainda no fim do mês de janeiro, que se agravou após Vicente Santini, secretário-executivo da Casa Civil, utilizar uma aeronave oficial para se deslocar até Nova Délhi, na Índia, que gerou a demissão de dois cargos no Ministério.

“Inadmissível o que aconteceu. Já está destituído da função de executivo do Onyx. Destituído por mim. Vou conversar com Onyx para decidir quais outras medidas podem ser tomadas contra ele”, disse Bolsonaro na época do ocorrido, que ainda optou por o mantê-lo.

Após o esvaziamento dado com o remanejamento de pasta, a proposta em colocar alguém no lugar de Onyx foi seguida por um perfil técnico ou da área militar para evitar que o Palácio do Planalto seja usado para pretensões eleitorais, ideia que incomoda Bolsonaro. Sendo então fechado no perfil do general Walter Souza Braga Netto.

Related Articles

Close