Notícia

Quarta morte relacionada à cerveja contaminada é investigada pela Secretaria de Saúde de MG

Segundo a secretaria, há 18 casos notificados, incluindo as mortes, de suspeita de contaminação pelo dietilenoglicol, composto químico achado em lotes de cerveja da Backer

Foi divulgada em boletim no final da tarde da última quinta-feira, 15, que a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais investiga a quarta morte supostamente relacionada ao consumo de cerveja da Backer. Foi incluído na lista o caso de uma mulher que morreu em Pompéu no dia 28 de dezembro, na região central de Minas Gerais.

Ainda de acordo com a pasta, o exame de sangue de um homem que faleceu no dia 7, em Juiz de Fora, mostrou que ele tinha a substância dietilenoglicol no sangue. Já sobre os outros óbitos, a pasta diz que esperar os resultados dos laudos laboratoriais.

Segundo a secretaria, há 18 casos notificados, incluindo as mortes, de suspeita de contaminação pelo dietilenoglicol, composto químico achado em lotes de cerveja da Backer.

Já de acordo com a polícia, nesta quinta-feira, 16, morreu na madrugada, em Belo Horizonte, a terceira pessoa suspeita de ter sido contaminada com o dietilenoglicol após consumir a cerveja Belorizontina. A vítima era o empresário Milton Pires, de 89 anos, dono do bar Baiúca, na região centro-sul da cidade. O estabelecimento é revendedor da marca.

As duas primeiras mortes foram de um morador de Belo Horizonte, nesta quarta-feira, 15; e, no dia 7, de uma vítima residente em Ubá, na Zona da Mata. Todos deram entrada na rede de saúde com quadro de insuficiência renal e problemas de ordem neurológica.

Com informações do Mais Goiás

Related Articles

Close