Economia

Micro e pequenos empresários terão linha de crédito emergencial para capital de giro

O Governo de Goiás, por intermédio da Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC) e da GoiásFomento, vai adotar uma série de medidas e de recomendações para ajudar os pequenos empreendedores

De acordo com o secretário Wilder Morais, titular da SIC, o governo vai ajudar os pequenos e médios empresários, que paralisaram suas atividades, injetando R$ 500 milhões no mercado para capital de giro, dinheiro para pagamento de impostos, mão de obra, aluguéis e outros custos fixos variados.

Os R$ 500 milhões são para capital de giro emergencial, inclusive custos fixos, para MEI, micro e pequenas empresas, através da GoiásFomento, Banco do Brasil e FCO. A carência é de 6 a 12 meses e o prazo para pagamento de 24 meses. O governo vai disponibilizar ainda a criação de um Fundo de Aval para facilitar o crédito aos microempresários.

Como há recomendações para se evitar as aglomerações de pessoas em espaços públicos, os empresários devem acessar esses recursos exclusivamente por contato via telefone com gerentes do Banco do Brasil, ou por canais oficiais via internet. O mesmo procedimento deve ser adotado para o contato com a GoiásFomento e o Goiás Empreendedor (Banco do Povo).

Ainda de acordo com o secretário Wilder Morais, esse meio bilhão que será disponibilizado aos empresários está disponível para empréstimo na GoiásFomento, no Goiás Empreendedor e Banco do Brasil, via Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO). Cerca de R$ 350 milhões virão dos dois agentes financeiros oficiais do Governo de Goiás.

O secretário destaca que essa é uma ação emergencial para atender agora no início da crise, mas que após contornada a crise, já existem mais de R$ 2 bilhões, via Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), para serem disponibilizados para os pequenos empresários.

“Estamos atentos e seguindo as determinações do governador Ronaldo Caiado para evitarmos situações que possam inviabilizar as atividades dos nossos empreendedores pequenos, que geram muitos empregos e renda”, defendeu o secretário.

Na semana passada, o governador Ronaldo Caiado recebeu representantes do trade turístico e prometeu, de imediato, a liberação de  R$ 15 mihões em linhas de crédito para socorrer o setor. Os recursos, do Ministério do Turismo, serão operacionalizados pela GoiásFomento. A previsão é liberar, já nesta semana, os recursos para capital de giro de bares e restaurantes, atingidos pelo decreto estadual, que fecha os estabelecimentos deste a última quinta-feira .

De acordo com o presidente da Goiás Turismo, Fabrício Amaral, as linhas de crédito irão para pagamento de funcionários. Outros segmentos também serão beneficiados, entre eles, organizadores de eventos e meios de hospedagens.

Gustavo Martins

Estagiário supervisionado pelo editor Jorge Borges

Related Articles