Sábado, 24 de Julho de 2021
24 de Julho de 2021
Publicidade

A partir deste fim de semana, Aparecida vai fechar o comércio não essencial aos sábados

Apesar da restrição, o município segue desobedecendo ao decreto estadual e vendo a Covid-19 se espalhar pela cidade

Eduardo Marques

Resistente para obedecer ao decreto estadual que prevê o fechamento das atividades não essenciais por 14 dias e a abertura por mais 14, o prefeito Gustavo Mendanha (MDB) decidiu manter o isolamento social intermitente no município, com restrições. Após análise do Comitê de Prevenção e Enfrentamento à Covid-19 em Aparecida de Goiânia em reunião nessa terça-feira, 23, a prefeitura deliberou, a partir de amanhã, 27, pela suspensão das atividades econômicas e não econômicas consideradas não essenciais aos sábados e domingos o dia inteiro enquanto a Matriz de Risco estiver no cenário laranja. Antes as atividades poderiam funcionar aos sábados até às 13 horas.

Apesar da decisão da prefeitura de suspender atividades aos sábados o dia todo, vale lembrar que Aparecida de Goiânia se encontra em estado de calamidade, e, de acordo com a decisão estadual, ela está proibida de flexibilizar medidas restritivas. Apenas os municípios que estão em situação crítica vão poder flexibilizar, mas dentro dos critérios estabelecidos pela Secretaria de Estado da Saúde, que fará a coordenação e o controle da situação da Covid-19 em todo o Estado. Tecnicamente, somente a região Nordeste II do Estado se encontra em situação crítica. 

Conforme noticiado pelo Diário de Aparecida, o procurador-geral de Justiça do Estado, Aylton Vechi, destacou que o gestor que não cumprir a decisão estadual vai responder com medidas judiciais. Na ocasião, ele questionou os critérios jurídicos e científicos para a adoção do escalonamento em Aparecida de Goiânia. “Se o resultado da análise apontar que não há base científica e jurídica para adoção desta medida, vamos implementar todas as ações jurídicas cabíveis para garantir a uniformidade do cumprimento do decreto estadual”, afirmou.

O procurador ainda disse que a competência do município se resume à adoção de medidas mais rigorosas que as estabelecidas pelo Decreto Estadual, caso ele detecte insistência em descumprimento das medidas. “Temos um decreto estadual e o município tem uma competência sim, mas de disciplinar. Onde houver falta de disciplina, o município pode adotar medidas mais rígidas, mas não deve afrouxar o que foi estabelecido pelo Governo do Estado”, aponta o promotor.

No sábado, 20, o DA divulgou imagens de aglomerações na Avenida Igualdade, no setor Garavelo. Por lá, o fluxo no trânsito estava pesado durante a manhã. Fotografias da Feira Livre, no setor Cruzeiro do Sul, também mostram aglomerações de pessoas que passavam pelo local, embora a maioria fizesse uso de máscaras. Apesar da pandemia agravada, do aumento exponencial dos casos e da limitação no número de leitos, a população segue sem medo e aglomerando em comércios autorizados a funcionar com aval da prefeitura.

Escalonamento

A Prefeitura de Aparecida de Goiânia publicou no dia 14 de março uma portaria com as regras do escalonamento do comércio e dos serviços suspensos, o qual começou a ser adotada no dia seguinte. O município foi dividido em 10 macrorregiões: Jardim Alto Paraíso, Vila Brasília, Buriti Sereno, Expansul, Papillon Park, Santa Luzia, Zona da Mata, Centro, Cidade Livre e Garavelo.

Como a cidade estava no cenário laranja, considerado de alto risco de contaminação, cada região passou a fechar duas vezes por semana de segunda a sexta-feira. A situação epidemiológica foi dividida em quatro cenários – verde, amarelo, laranja e vermelho, que variam conforme a quantidade de casos e ocupação de hospitais, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde.

Aparecida registra quase 50 novas mortes por Covid-19 em uma semana

Na última quarta-feira, Aparecida de Goiânia registrou 874 mortes por Covid-19 

Com a aproximação de 1.000 mortes por Covid-19, Aparecida registrou 48 novos óbitos da doença em um intervalo de uma semana, segundo levantamento realizado pelo DA entre os dias 18 a 24 de março e baseado nos dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Até a última quarta-feira, 24, a cidade contava com 874 mortes pelo vírus, sendo 55.309 casos confirmados e 53.417 recuperados.

De acordo com a SMS, até as 17 horas de quarta-feira, 24, o município realizou 231.490 testes de diagnóstico de Covid-19 do tipo RT-PRC. O painel informa que a maioria dos casos foram registrados em pessoas que têm entre 30 a 39 anos (25%). Em seguida, vem a faixa etária de 20 a 29 anos (22%), 40 a 49 anos (20%) e 50 a 59 anos (12%).

A cidade está classificada no risco laranja, mas há três bairros classificados como vermelho: Jardim Buriti Sereno com 2.496 casos, Cidade Vera Cruz com 2.337 positivações e Jardim Tiradentes com 1.794. Outros cinco bairros da cidade já contam com mais de 1 mil casos registrados da doença: Setor Garavelo (1.471), Garavelo Residencial Park (1.189), Sítios Santa Luzia (1.141), Parque Veiga Jardim (1.087) e Independência Mansões (1.030).

O painel destaca também que a ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) voltados ao tratamento da doença na rede pública é de 93%, enquanto na privada permanece com a capacidade máxima de 100%. (EM)

Foto: Divulgação

Compartilhe este post: