Segunda, 20 de Setembro de 2021
20 de Setembro de 2021
Publicidade

Acirlag e Sindtur conseguem liberação para realização de eventos corporativos

De acordo com a portaria, podem retornar reuniões, treinamentos, workshops, seminários, congressos, palestras e similares, realizados por empresas privadas ou públicas, instituições, organizações sociais e entidades sem fins lucrativos

A Associação Comercial e Industrial da Região Leste de Aparecida de Goiânia (Acirlag) comunicou ao Diário de Aparecida mais uma conquista frente ao Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus do município. Trata-se da aprovação do retorno dos eventos corporativos publicados no Diário Oficial Eletrônico dia 6 de maio de 2021. De acordo com a Portaria n° 053/2021, entende-se por eventos corporativos as reuniões, treinamentos, workshops, seminários, congressos, palestras e similares, realizados por empresas privadas ou públicas, instituições, organizações sociais e entidades sem fins lucrativos.
Fica vedado o consumo de bebida alcoólica e o uso de buffet para servir alimentos antes, durante e após o evento. Limitado a 150 pessoas a cada 4,5 m² de distância uma das outras. Se houver mesas, deve-se respeitar um limite máximo de dez pessoas, garantindo o distanciamento de 1,5m entre elas. Os eventos de que trata a portaria ficam limitados a duas horas ininterruptas. Deverá haver intervalo mínimo de 30 minutos entre os eventos para realização de limpeza e desinfecção das superfícies dos ambientes.

Sindtur
O presidente do Sindicato de Turismo e Hospitalidade do Estado de Goiás (Sindtur), Ricardo Rodrigues, disse ao DA que ainda falta avançar para os eventos familiares, que são casamentos, festas de debutantes, formaturas, aniversários, happy hours, churrascos, noivados e similares.
“Por envolver familiares, e, às vezes, bebida alcoólica e maior tempo no mesmo ambiente, o que acaba causando aglomeração. Por esse motivo, há restrições e a Prefeitura de Aparecida entende que não é hora de liberar. Eventos com parentes deixam as pessoas mais animadas, elas querem dançar, ficam mais próximas e tiram as máscaras. Diferente de um bar, onde por vezes um chefe ou os próprios garçons chamam a atenção para colocarem as máscaras, limitam o acesso às mesas, deixando o ambiente mais organizado. Estas são as dificuldades que temos de defender o retorno dos eventos familiares”, falou Ricardo Rodrigues.
Ele disse ainda que Aparecida de Goiânia está rígida no que tange às comemorações, mas que haverá discussão esta semana sobre a liberação dos eventos dentro dos protocolos sanitários. Ricardo Rodrigues pontuou que o sindicato vai lutar em nome de milhares de pessoas que precisam retomar os seus trabalhos.

Entidades defendem a ampliação do horário de funcionamento dos bares e restaurantes

Presidente da Acirlag, Maione Padeiro colocou que a instituição apoia toda flexibilização dos eventos sociais e familiares. Segundo ele, o segmento fomenta uma rede de empregos que estão interrompidos, sendo o único meio de sobrevivência de centenas de cidadãos e cidadãs. “Com o retorno, uma cadeia de empregos será reativada, entre eles, decoração, garçons, som, espaço para eventos, iluminação, confeitaria, decorações, segurança e demais áreas”, completou.
Outros profissionais que têm sofrido, segundo Maione, são os que atuam em bares e restaurantes. Ele diz que pedirá, junto ao Comitê de Enfrentamento à Covid de Aparecida, que estenda o horário de abertura e fechamento para até a zero hora. “Vamos defender, a Acirlag e o Sindtur, junto ao Comitê, o aumento do horário de funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes e similares, que hoje está até as 22 horas. Defendemos que vá até a meia-noite, segundo consta na legislação municipal”, enfatizou. (A.P.A.)

Compartilhe este post: