Sábado, 24 de Julho de 2021
24 de Julho de 2021
Publicidade

Alego anuncia projeto de geração de emprego e renda em Goiás

No lançamento, o presidente da Casa, o deputado Lissauer Vieira, destacou a importância da iniciativa diante dos impactos negativos provocados pela pandemia da Covid-19

Da Redação

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB), anunciou nesta segunda-feira, 5, o novo projeto do Poder Legislativo. Trata-se do “Gera Goiás”, iniciativa que visa promover a geração de emprego e renda por meio de eixos de atuação relacionados ao agronegócio, moda e confecção e turismo. O programa, que será desenvolvido em parcerias entre os poderes públicos, governos, instituições e a sociedade, terá como objetivo principal o fortalecimento da economia, o fomento ao empreendedorismo e a democratização no acesso ao mercado de trabalho.

Diante dos impactos negativos provocados pela pandemia da Covid-19 e da alta capacidade produtiva de Goiás nos diversos setores da economia, o chefe do Legislativo goiano ressaltou que o projeto contribuirá significativamente para alavancar a recuperação econômica do estado gerando, assim, qualidade de vida para a população, novos postos de trabalho, além de projetar ainda mais as principais características do turismo goiano no cenário nacional.

“Sabemos de todos os reflexos negativos que essa grave crise sanitária tem provocado em nossa economia, afetando, principalmente, o mercado de trabalho. Com o Gera Goiás, nós queremos mudar essa realidade, gerando emprego e renda para a nossa população, mostrando a força do nosso agronegócio, da cadeia produtiva goiana, principalmente no que tange à moda e confecção, além de apresentar também a potência do turismo do estado de Goiás para todo o Brasil”, explicou Lissauer.

Recentemente a primeira ação do projeto foi realizada na cidade de Itaberaí, com a apresentação de todo o planejamento do programa para vereadores, secretários e representantes de cooperativas locais durante audiência na Câmara Municipal. A intenção é levar a iniciativa para todas as regiões do estado.

Eixos de atuação

O Gera Goiás será desenvolvido através de três eixos de atuação. São eles: agronegócio, moda e confecção e turismo. Em cada um desses núcleos, o projeto contará com vertentes direcionadas para demandas específicas como disponibilização de crédito, regularização fundiária, ações voltadas para a sustentabilidade, entre outros.

No âmbito do agronegócio, o programa contará com o “Fomento Mulher”, que tem como intuito proporcionar maior autonomia para as beneficiárias do campo com a viabilização de crédito de R$ 5 mil por unidade familiar; o “Titula Brasil” que visa disponibilizar regularização fundiária de terras públicas federais e o “Cidades Verdes”, voltado para a produção de mudas e desenvolvimento sustentável.

Já no eixo de moda e confecção o projeto terá em seu núcleo de atuação o “Goiás na Moda”, uma vertente exclusiva para o empreendedorismo no ramo de vestuário, uma vez que, o estado é hoje um dos maiores polos do setor no país. A iniciativa será destinada para o mercado consumidor e para a consultoria na criação de confecções.

E na esfera do turismo o programa contará com o “Conheça Goiás”, que tem como proposta principal o mapeamento e incentivo ao desenvolvimento turístico do estado, valorizando as regiões, apresentando as potencialidades locais e fortalecendo, dessa forma, a economia regional.

São parceiros do projeto “Gera Goiás” o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO); Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar); Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra); Agência Estadual de Turismo de Goiás (Goiás Turismo); Mega Moda; Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Governo de Goiás e Governo Federal.

Alego continua com atividades administrativas presenciais suspensas até o dia 11

Medida visa conter o avanço da propagação do novo coronavírus

A Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego) continua com suas atividades legislativas e administrativas suspensas até o próximo dia 11 de abril. A medida visa conter o avanço da propagação do novo coronavírus. Para tanto, a Diretoria de Gestão de Pessoas da Assembleia Legislativa publicou, no último dia 2, uma nova portaria, pela qual mantém em funcionamento apenas as atividades presenciais que garantam a continuidade de prestação do serviço público à comunidade. 

Nesta semana, as reuniões das comissões técnicas e sessões ordinárias serão realizadas, exclusivamente, pelo sistema de votação remoto. Estão agendadas para esta terça-feira, 6, reuniões de comissões técnicas e sessão ordinária no horário regimental, às 15 horas. A decisão, publicada no Diário Oficial da Casa, esclarece que está mantido o regime de teletrabalho e que só vão atuar os departamentos imprescindíveis para a realização das atividades legislativas. 

A decisão da Mesa Diretora foi tomada em decorrência do aumento no número de pessoas diagnosticadas com a covid-19. O preocupante cenário dentro dos hospitais, que estão dia após dia com seus leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e enfermaria lotados, também motivou a decisão. 

De acordo com a nota emitida pela Diretoria de Gestão de Pessoas, foram consideradas, ainda, as regras de contingência no combate à covid-19 vigentes na região Metropolitana de Goiânia (RMG). Seguem suspensos os prazos nos processos administrativos, legislativos e de controle, inclusive nas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs), exceto nos procedimentos licitatórios, cujos prazos correrão normalmente.

Compartilhe este post: