Domingo, 19 de Setembro de 2021
19 de Setembro de 2021
Publicidade

Aparecida de Goiânia registra mais de 2 mil casos de dengue só este ano

Até agora, nenhum óbito pela doença foi relatado. Apesar disso, o município vive hoje um cenário preocupante

A preocupação com a pandemia da Covid-19 tem assombrado a população de todo o País, mas uma antiga ameaça segue a preocupar as autoridades de Saúde: a dengue. Em 2021, 2.004 casos confirmados da doença foram registrados nas unidades da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Aparecida de Goiânia. Segundo balanço da pasta, em 2020 houve 9.072 casos confirmados de dengue no município. Conforme a secretaria, não teve registro de óbito em 2020 e nem em 2021 em decorrência da doença na cidade. Apesar disso, o município vive hoje em cenário de alto risco da doença.

De acordo com o Boletim Epidemiológico da Dengue da SMS de Aparecida de Goiânia, a faixa etária em que houve mais registro de notificações foi entre jovens de 20 e 29 anos, com 632 casos em 2021. Em seguida vêm os adultos entre 30 e 39 anos, com 479 casos este ano. Idosos acima de 80 anos foram o grupo de faixa etária com menor registro: cinco casos notificados. A dengue atingiu mais as mulheres em Aparecida, sendo que elas representam 55% dos casos notificados em 2021.

O Boletim lista os dez bairros com maior notificação de dengue em Aparecida de Goiânia em 2021. Em primeiro lugar está o Colina Azul, com 22. Em segundo aparece o Buriti Sereno (5). Em terceiro lugar, o Bairro Independência (4). Em quarto lugar, o Cidade Livre (3). Em seguida vem o Independência Mansões, também com três notificações. Em décimo lugar está o Vila Roma, com uma notificação da doença.

O balanço da SMS de Aparecida também aponta os casos de dengue notificados por unidade de saúde municipal. Em 2021, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Brasicon teve um registro de 1.140 notificações, figurando em primeiro lugar. Em segundo lugar entre as unidades com registro de notificações está a UPA Buriti Sereno, com 461. A UPA Flamboyant ficou em terceiro, com 188 notificações. O Centro de Atenção Integrada à Saúde (Cais) Nova Era aparece em quarto lugar com 177 notificações.

De acordo com o coordenador de Vigilância Ambiental de Aparecida de Goiânia, Iron Pereira, só em 2020 os agentes de endemias do município realizaram, aproximadamente, 1,207 milhão de visitas domiciliares para orientação e monitoramento de focos do mosquito Aedes aegypti. “Em média, cada imóvel da cidade recebeu pelo menos quatro visitas ao ano. Não paramos nem mediante a pandemia do novo coronavírus, afinal, o controle e a prevenção da dengue sempre foram prioridades da prefeitura e também evitam a temida superlotação das unidades de saúde em pleno enfrentamento à Covid-19.”

O coordenador também destacou a importância das ações de coleta e destinação sustentável de pneus, realizadas continuamente na cidade. Segundo ele, em 2020, a SMS recolheu mais de 150 mil unidades descartadas incorretamente em Aparecida. “Os pneus são o terceiro principal criadouro do mosquito Aedes aegypti e o trabalho regular de recolhimento desse material reflete diretamente na redução do número de casos de dengue, com a eliminação de possíveis locais para proliferação do mosquito”, frisou.

Pandemia
Iron Pereira acredita que, com a pandemia do novo coronavírus e as regras de isolamento social, os moradores de Aparecida ficaram mais tempo em casa e, consequentemente, intensificaram os cuidados com a limpeza dos imóveis. “Durante as visitas domiciliares, nossa equipe percebeu uma maior conscientização das pessoas em 2020, que, apesar de ser um ano muito difícil, acabou favorecendo a prevenção e o combate à dengue. Em 2021, vamos intensificar ainda mais esse trabalho, e para isso contamos com o apoio dos moradores”, afirmou.

Nesse sentido, o coordenador de Vigilância Ambiental orienta a população: “As pessoas devem impedir que recipientes como latas, garrafas, vasos de plantas e pneus armazenem água da chuva, além de manter as calhas limpas e as caixas d’água cobertas. Sempre repetimos que em poucos minutos por semana é possível fiscalizar o quintal e a casa e acondicionar corretamente o lixo.” E completa: “Caso alguém queira fazer uma denúncia de locais com possíveis focos de dengue, entre em contato pelo aplicativo ‘Xô Aedes’ ou pelo 0800 646 2500. Ao receber as informações, mobilizamos servidores para limpeza e outras providências.”

Compartilhe este post: