Terça, 18 de Maio de 2021
18 de Maio de 2021
Publicidade

Aparecida encerra 2020 com saldo positivo na abertura de empresas e geração de empregos

Na contramão da crise econômica causada pela pandemia do coronavírus, Aparecida de Goiânia encerra 2020 com números positivos na geração de empregos e abertura de novas empresas. Os dados divulgados pela Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz) e Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg) apontam que mesmo em um ano atípico a economia da cidade não foi abalada, ao contrário, cresceu em relação ao ano anterior.

Neste ano, entre janeiro e novembro, Aparecida atraiu 1.281 novas empresas. O número é 2,65% maior em relação ao mesmo período de 2019. “Apesar dessa pandemia, nós acreditamos que quando o IBGE divulgar os números (PIB), nós devemos ter um crescimento na casa dos 10%”, projeta o secretário da Fazenda, André Luís Rosa, ao avaliar o desempenho da economia local neste ano.

Alguns fatores como a localização no centro do país, permitindo escoamento da produção para diversas regiões do país, e consolidação de diversos polos industriais e de serviços justificam a chegada de novos investidores. Segundo André Rosa, a gestão municipal tem criado mecanismos para facilitar o dia a dia do empreendedor na cidade.

“Aparecida tem construído uma relação muito propositiva com o empresariado. Nós entendemos que o empresário é um parceiro da administração porque é ele quem gera emprego e renda no município. Nossa administração tem tentado e buscado desburocratizar as ações, facilitando a vida do empresário porque a única coisa que ele quer é condições para trabalhar e Aparecida vem dando essas condições”, destaca.

Ainda de acordo com o secretário, outro fator que atraí novos investidores é a diversidade das atividades econômicas seja na indústria, comércio ou prestação de serviços. A infraestrutura encontrada nos polos também desperta interesse naqueles que chegam para investir na cidade.

“Nossa matriz econômica, nos polos industriais, é altamente diversificada e isso gera uma vantagem competitiva ao município. Quando uma atividade ou um grupo econômico vai mal os outros vão bem, e com isso gera maior competitividade. Então qualquer empresa que chega vai encontrar uma diversidade de empresas para gerar mais negócios e um terreno fértil para que possa prosperar”, aponta.

Empregos

Junto com a abertura de novas empresas Aparecida comemora ainda a geração e manutenção de empregos formais. Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), em 2020, foram contratados mais de 44 mil trabalhadores com carteira assinada. Com isso, a cidade encerra o ano com mais de 102 mil trabalhadores registrados.

“No primeiro semestre, perdemos diversos postos de empregos justamente por causa da pandemia, mas nos últimos quatro meses conseguimos equilibrar os dados entre contratações e demissões com a abertura de 3.937 novas vagas de trabalho. Aparecida vai muito bem graças ao trabalho e ao esforço do nosso povo e do empresariado”, pontua André Rosa.

Destaque

Os números favoráveis da economia colocam Aparecida entre as cidades mais competitivas do Brasil e de Goiás. Segundo último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), o município é 78ª no ranking nacional dos maiores PIB’s. No cenário estadual, ocupa a terceira colocação no ranking das cidades mais ricas sendo responsável por 6,8% de toda riqueza produzida em Goiás.

“Nos últimos anos, nossa cidade vem ganhando destaque no cenário nacional e isso graças ao trabalho planejado da administração que vem criando meios de facilitar a vida do empresário. Os incentivos também são fatores que contribuem para encerrarmos esse ano com números favoráveis”, explica o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marlúcio Pereira.  Fonte: Rodrigo Augusto

Compartilhe este post: