Sexta, 07 de Maio de 2021
07 de Maio de 2021
Publicidade

Aparecida inicia escalonamento regional

Novo modelo de funcionamento do comércio começou pelas regiões da Vila Brasília e Alto Paraíso; nesta terça-feira, será a vez do Garavelo e da Zona da Mata

O escalonamento regional do comércio em Aparecida começou a funcionar nesta segunda-feira (8). Supermercados, lojas de rua, escritórios e empresas em geral das macrozonas Vila Brasília e Alto Paraíso seguiram a portaria 035/2020 e fecharam as portas hoje, nessa ação de combate ao novo coronavírus. O modelo implementado pela Prefeitura de Aparecida é inspirado em uma experiência positiva realizada em Israel.

A intenção com o escalonamento regional é aumentar em Aparecida o índice de isolamento social, considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a medida mais eficiente no controle da Covid-19. Aparecida tem hoje 36% de isolamento social. Com o escalonamento, esse índice deve subir para mais de 50%, conforme recomenda a OMS.

Com 14 mil empresas, a Vila Brasília é a maior região comercial de Aparecida. Já o Alto Paraíso tem cerca de 1 mil comércios. Essa combinação diária, fechando sempre uma região grande e outra menor, é proposital. Segundo o secretário da Fazenda, André Rosa, é para garantir todos os dias o acréscimo de pelo menos mais 20% na taxa de isolamento social, fazendo com que Aparecida se mantenha no patamar superior a 50%.

Equipes do Grupo Operacional de Enfrentamento ao novo Coronavírus fizeram rondas na região da Vila Brasília e do Alto Paraíso para garantir a adesão ao escalonamento. A maioria dos comerciantes aderiu à medida.

As sanções para as empresas que ignorarem o escalonamento podem variar de interdição preliminar (sendo obrigadas a fechar as portas no dia da escala) a multa no valor aproximado de R$ 580 e, em último caso, na cassação do alvará de funcionamento.

O secretário da Fazenda de aparecida de Goiânia, André Luis Rosa acompanhou hoje a fiscalização na Vila Brasília. Ele explicou como será feito o monitoramento dos resultados do escalonamento. “A Prefeitura de Aparecida irá acompanhar o isolamento social através de uma plataforma do Estado de Goiás que utiliza as informações do aplicativo in loco”, esclareceu. Segundo ele, a fiscalização nas macrozonas fechadas terá um carácter mais orientativo nesta primeira semana.

O cinegrafista Lázaro Roberto Moreira, de 49 anos, mora na Vila Brasília. Ele disse que é favorável a esse modelo de escalonamento. “Se continuar assim, cada dia num bairro, não vai ter prejuízo para os comerciantes e vai melhorar bastante no combate ao coronavírus”, analisou Lázaro. Ele fez um apelo para que a população também colabore na prevenção à Covid-19.

As exceções

Não estão incluídas no escalonamento regional as feiras livres e especiais (que seguem Portaria própria); estabelecimentos de assistência à saúde no atendimento de urgência e emergência, incluindo os serviços odontológicos e hospitalares; estabelecimentos que prestem serviços funerários; e atividades de organizações religiosas (que também seguem Portaria própria); e atividades de segurança pública e privada.

Também estão fora do escalonamento as empresas situadas nos polos industriais do município que realizem o transporte de seus funcionários; transportadoras; empresas nas margens das BRs que realizem o transporte de seus funcionários; empresas de medicamento (fabricação e distribuição); delegatórios de serviços públicos; bancos e agências lotéricas; farmácias através de delivery (sem porta aberta); órgãos públicos.

 

 

Compartilhe este post: