Quinta, 29 de Julho de 2021
29 de Julho de 2021
Publicidade

Aparecida pode ter Sistema de Verificação de Óbitos

Em caso de investigação epidemiológica, o SVO pode colocar em evidência os possíveis riscos à saúde que estão em emergência

Eduardo Marques

Vereadores de Aparecida de Goiânia discutem a possibilidade de implantação do Sistema de Verificação de Óbitos (SVO) no município, já que atualmente só é feito na Capital. Uma comitiva composta pelos parlamentares Edinho (PTC), Élio Bom Sucesso (MDB), Orlanes Maranhão (PSB), Marcelo da Saúde PSC) e Leandro da Pamonharia (PTC) participaram de uma reunião com o coordenador da Central de Óbitos de Aparecida de Goiânia, Vagner Moura, na quarta-feira, 24. Os vereadores também confirmaram que está agendada para próxima quinta-feira, 1º/04, uma nova reunião com representante do Ministério Público para tratar sobre o assunto. 

O SVO é o responsável por determinar a causa do óbito, nos casos de morte natural, sem suspeita de violência, com ou sem assistência médica, sem esclarecimento diagnóstico e, principalmente, aqueles por efeito de investigação epidemiológica. Para a sociedade é de grande importância, uma vez que pode colocar em evidência os possíveis riscos à saúde que estão em emergência, tanto os já conhecidos quanto os que não são comuns, ou ainda casos de uma doença nova em um determinado local. 

Ao Diário de Aparecida, o vereador Élio Bom Sucesso explicou que o serviço visa desburocratizar trâmites legais de óbitos para moradores de Aparecida, além de suspender taxas de traslados de corpos do município à Capital. “As famílias sofrem demais em Goiânia pela burocracia que existe nos custos que é muito alto. Aparecida tem quase 600 mil habitantes e não temos esse benefício para a população daqui. Esse benefício vai trazer transparência, tranquilidade, desburocratização, qualidade de vida para população da cidade”, garante. 

Ele destacou que o SVO vai dar transparência para as famílias da cidade. “Pode dar mais transparência. Uma vez que temos um SVO na cidade para cuidar das famílias, elas mesmas vão ter transparência do serviço que está sendo feito. Como sai daqui e vai para Goiânia e tem aquela enrolação, custo alto, mas tendo os benefícios aqui vai resolver as coisas”. 

Em conversa com o DA, Orlanes Maranhão afirmou que o serviço vai também corrigir falhas da causa de morte, em casos onde a vítima tenha contraído a Covid-19. “O IML e SVO se misturaram. Muitas das vezes as pessoas morrem assassinadas, mas quando chega lá no IML ela já pode ter contraído a Covid-19. Como muitas pessoas se contaminaram, fica essa disputa se foi por morte natural ou de Covid-19. Com o SVO em Aparecida de Goiânia vai facilitar a vida da família pela praticidade e o fim dessas taxas de ir para Goiânia e a liberação do corpo”. 

Em consonância com os colegas, Leandro da Pamonharia também defendeu ao DA a implantação do serviço na cidade. “O tamanho que é hoje de Aparecida, a gente não pode depender de Goiânia toda vida, então a gente tem que ter o próprio sistema aqui e temos áreas ali do lado do IML que já foram liberadas para construção. Com o SVO, o serviço virá para facilitar. Chega de estar precisando de Goiânia”.

“Não ter esse serviço em nossa cidade gera um grande transtorno para a população, por isso estamos em busca de também montar um SVO por aqui”, afirmou o vereador Edinho, que ainda apontou que o clima da reunião indicou que há grandes possibilidades de terem êxito na demanda. “Nesse momento de pandemia que estamos vivendo, acredito que a necessidade urgente de criação de um sistema aqui em nossa cidade será ainda mais fortalecida”, finalizou Edinho.

A reportagem entrou em contato com a prefeitura de Aparecida para comentar sobre essa reunião, no entanto ela não se manifestou. Além disso, o DA questionou ao órgão sobre o balanço dos óbitos por Covid-19 nos cemitérios Jardim da Esperança e Central, que também não responderam. Nossa reportagem também procurou a direção do Cemitério Jardim da Paz com o mesmo intento, porém sem respostas. 

Compartilhe este post: