Quinta, 17 de Junho de 2021
17 de Junho de 2021
Publicidade

Aparecidense: Elvis Mendes avalia mudanças para enfrentar jogos da Série D do Brasileiro

Com surto de Covid-19 em seu elenco, Camaleão do Cerrado trouxe apenas quatro jogadores para o banco de reserva na sua estreia

Depois de bater na trave pelo acesso no Campeonato Brasileiro na última temporada, quando caiu nas quartas de final, a Aparecidense estreou com o pé direito na Série D na tarde do último domingo, 6. Em jogo no Estádio Anníbal Batista de Toledo, o Camaleão do Cerrado venceu o Nova Mutum/MT por 3 a 1, com gols de Marinho, Lelo e Elias, e assumiu a liderança no Grupo A5.

Neste sábado, 12, a equipe de Aparecida de Goiânia joga fora de casa contra o Gama/DF. O presidente da Aparecidense, Elvis Mendes, comentou sobre a reformulação do elenco para o Campeonato Brasileiro Série D. Após o Goianão, o clube perdeu jogadores importantes, como os zagueiros Renato e Ricardo Lima e o atacante Cardoso, para o Vila Nova; o meia-atacante Albano, para o Goiás; além do artilheiro Alex Henrique, para o Confiança.

“É uma reformulação que está sendo feita até em virtude das campanhas que fizemos; grandes equipes do futebol brasileiro vieram assediar os jogadores. Tivemos que ter muita sabedoria para conduzir isso, e conseguimos segurar uma certa base, mas alguns jogadores não estavam com a cabeça aqui na Aparecidense e realmente não conseguiríamos manter com as propostas que eles tinham. É uma grande reformulação, mas fico feliz que estamos no caminho certo, conseguindo uma mescla de jogadores jovens com essa base mais experiente que ficou, e gostei do que vi no primeiro jogo”, disse.

Não bastasse as mudanças no grupo, a Aparecidense também teve um surto de Covid-19 para controlar. No último sábado, 5, um dia antes da estreia do time na competição nacional, Thiago Carvalho, o zagueiro Lucas Gazal, o meia-atacante Robert, os recém-contratados Mutuca, volante, e Rafa Marcos, meia-atacante, testaram positivo para o novo coronavírus e não participaram do jogo contra o Nova Mutum. “Mostramos força com apenas quatro jogadores no banco e o auxiliar Lusmar. A Aparecidense, na estreia, foi pura superação e será assim na Série D. Embora achem que aqui temos dinheiro em abundância, mas está muito complicado”, destacou o dirigente.

Compartilhe este post: