Sábado, 24 de Julho de 2021
24 de Julho de 2021
Publicidade

Após matar a irmã por motivo fútil, assassino é agredido por populares

De acordo com testemunhas, uma discussão em família fez com que ele partisse para cima da irmã com uma faca. Agressores do autor do crime fugiram antes da chegada da equipe policial

Edna Barbosa 

Segundo a polícia, o crime ocorreu no último dia 27, no Setor Jardim Luz em Aparecida de Goiânia. Após uma discussão em família, Luis Tavares de Sá, de 55 anos, partiu pra cima de uma de suas irmãs com uma faca. Lúcia Oliveira de Sá (56 anos) morreu após ser atingida por vários golpes. A equipe policial informou ainda que, uma outra irmã do agressor – Luzia de Oliveira Sá – ao tentar conter o irmão, acabou ferida também. 

Ao Diário de Aparecida, o major Wanderley Alves Moura, Assessor de Comunicação Social do 2º Comando Regional de Polícia Militar, explicou que, a motivação do crime foi banal. O agressor tentou fugir, mas foi coagido e espancado por populares, que fugiram antes da chegada da equipe policial. 

“Ele foi autuado em flagrante pelo crime de homicídio e ficou preso. Durante a semana ele passará por uma audiência de custódia onde um juiz decide se ele pode ou não responder em liberdade pelo crime. Uma série de considerações são feitas pelo magistrado, inclusive os antecedentes do autor e o risco de voltar a agredir os familiares. Nós esperamos que, diante da gravidade do crime, ele permaneça preso até o julgamento. A pena prevista pelo Código Penal Brasileiro em seu artigo 121, considerando as agravantes do motivo fútil e o fato de ser uma violência contra um ente familiar do sexo feminino é de 12 a 30 anos”, relatou o major.

De acordo o major Moura, a polícia lamenta profundamente o que aconteceu e realmente disse que não é uma ocorrência considerada normal; e que segundo a recomendação policial, a violência seja sempre um último recurso, utilizado exclusivamente como mecanismo de defesa. “Numa discussão em família como esta, envolvendo pessoas com mais de 50 anos, espera-se um mínimo de racionalidade humana e sensibilidade fraterna. Independente das consequências legais que se seguirão, a história desta família ficará marcada por esta imensa tragédia que, simplesmente, poderia ter sido evitada”, lamentou.

Compartilhe este post: