GoiásNotícias

Atendimento ao idoso recebe R$ 15,6 mi em investimentos

Em Goiânia, quatro espaços atendem mais de 1.000 pessoas por mês para garantir aumento de longevidade, bem-estar e saúde física e mental. No interior do Estado, cerca de 80 instituições sociais cadastradas integram rede de apoio. Muitos dos beneficiados das entidades são acamados e recebem doação de benefícios

O Governo de Goiás investiu mais de R$ 15,6 milhões, nos últimos dois anos e meio, no atendimento que a Organização das Voluntárias de Goiás (OVG) oferece nos Centros de Idosos Sagrada Família e Vila Vida e Espaços Bem Viver I e II. São ações com atenção à saúde física, mental e ao cuidado com quem já passou dos 60 anos.

Soma-se a esse trabalho o apoio via orientações e doação de benefícios a pessoas atendidas por cerca de 80 instituições do interior, que cuidam de idosos em situação de vulnerabilidade social, muitos deles acamados.

Outubro é mês do idoso, período que lembra a importância do envelhecimento com qualidade de vida e em meio à pandemia. A presidente de honra da organização e coordenadora geral do Gabinete de Políticas Sociais (GPS), Gracinha Caiado, afirma que os idosos “são donos da sabedoria da vida e da mudança dos tempos, o valor maior da sociedade”. “Eu e o governador Ronaldo Caiado acreditamos que os idosos merecem muito o nosso respeito. Por isso, trabalhamos com tanto amor e carinho por eles, principalmente para os mais vulneráveis. Goiás se importa com aqueles que construíram a sua história”, frisa Gracinha Caiado.

Só na capital, as quatro unidades da terceira idade da OVG atenderam no ano passado uma média mensal de 1.378 idosos. Em 2021, até o fim de setembro, o número ficou na casa de 1.085 idosos por mês. Foram acolhimentos que geraram mais qualidade de vida, ofertados nas modalidades Casas-Lares, Instituição de Longa Permanência (ILPI) e Centro de Convivência, que, mesmo durante a pandemia de Covid-19, realizaram atividades on-line fundamentais para a saúde mental de quem precisou ficar em isolamento social.

Entre essas pessoas está a aposentada Raneide Rosângela Gomes, de 64 anos. Emocionada, agradece o acolhimento. Ela é moradora de uma das 30 casas-lares do Centro de Idosos Sagrada Família.

“Sempre que falo como é morar aqui, preciso ‘prender’ as lágrimas. A OVG é uma ‘mãezona’ para todos nós. Nunca falta nada. Na pandemia, esse cuidado foi redobrado. Fomos uns dos primeiros, em todo o Estado, a receber as doses da vacina e o reforço. Aqui, eles pensam e trabalham pela gente. Que as bençãos do céu sejam derramadas por todos aqueles que fazem a OVG,” diz dona Raneide.

Assim como os demais acolhidos pelas unidades da terceira idade da Organização, a idosa conta com o cuidado de uma equipe multidisciplinar. São profissionais de enfermagem, assistência social, odontologia, educação física e psicologia. De forma integrada, desenvolvem atividades que contribuem para a longevidade, a manutenção da autonomia e independência funcional e a melhoria do bem-estar, da autoestima e do condicionamento físico.

Doações  

O trabalho da OVG e do Governo de Goiás para a terceira idade não fica restrito às quatro paredes das unidades. Pessoas atendidas em cerca de 80 entidades sociais, espalhadas em todo o Estado, cadastradas na organização, recebem benefícios como cobertores, cadeiras de rodas padrão e higiênica, alimentos, colchões caixa de ovo, fraldas geriátricas descartáveis, bengalas e andadores.

Uma dessas instituições é a Associação dos Idosos do Jardim Balneário Meia Ponte e Bairros Adjacentes, que fica em Goiânia e tem dois mil idosos cadastrados. “Nossas atividades têm como foco a melhoria da qualidade de vida e o fortalecimento de vínculos afetivos dos nossos idosos. A OVG e o Governo de Goiás são nossos grandes parceiros nessa missão. Sempre somos atendidos, e isso faz a diferença na vida de muitos idosos”, diz a presidente da associação, Gilca Aparecida Ferreira.

Titular da 30ª Promotoria de Justiça de Goiânia, que atua na defesa da pessoa idosa, Vagner Jerson Garcia diz que a OVG faz um trabalho extraordinário para a terceira idade, especialmente em Goiânia. Ele lembra que o Centro Dia do Sagrada Família é o único no Estado a oferecer gratuitamente acolhimento nessa modalidade.

“Dona Gracinha Caiado abraçou a causa da terceira idade. Ela tem apoiado muito na atenção com os idosos. Estatísticas indicam que, em 2040, o Brasil será o quinto país do mundo com o maior número dessa parcela da população. Então, não podemos deixar de pensar em políticas públicas para os nossos idosos”, afirma o promotor Vagner Jerson Garcia.

Já a vice-presidente do Conselho Estadual do Idoso de Goiás e gerente de Promoção dos Direitos da Pessoa Idosa da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds), Luciana Amorim de Santana Mota, revela que sua admiração pela OVG aumentou ainda mais no ano passado, com o início da pandemia.

“Acompanho de perto o carinho com que a OVG cuida especialmente dos idosos institucionalizados, tanto aqueles que moram em suas unidades quanto os que vivem em outras entidades espalhadas pelo nosso Estado. E, em 2020, em especial, ela fez muito por essas casas: doou alimentos e equipamentos de proteção individual, que muito significaram. Particularmente, recebi muitos pedidos de ajuda aqui no conselho. Nesses momentos, sempre busquei a OVG e fui atendida“, afirma Luciana Amorim.

Mês do Idoso 

A diretora-geral da OVG, Adryanna Melo Caiado, lembra que, embora a idade traga limitações em níveis diferentes para cada pessoa, ainda é possível fazer muito a partir dos 60 anos. “Diariamente temos provas disso. Os idosos nos ensinam que idade não é barreira para a alegria para a vontade de viver.”

Adryanna Caiado destaca as ações da OVG neste Mês do Idoso. “Nossas unidades prepararam uma programação especial. Seguindo todos os protocolos de segurança contra a Covid-19, constam no planejamento Gincana Aquática, Dia da Beleza Automaquiagem, Cozinha Terapêutica e exposição de trabalhos socioeducativos.”

 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo