Sábado, 24 de Julho de 2021
24 de Julho de 2021
Publicidade

Borges Landeiro é alvo de denúncia do MP-GO

Operação Máfia das Falências apurou desvios e lavagem de dinheiro

Na nova denúncia apresentada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de Goiás (MP-GO), apontou que a organização criminosa que atuava na empresa de construção civil, Borges Landeiro, lavou cerca de R$ 4 milhões decorrentes de fraudes, além do desvio de duas fazendas.

Na Operação Máfia das Falências são apontados mais dois crimes falimentares e mais um de lavagem de capitais. O MP-GO ressalta que a organização é especializada na prática de fraudes contra credores no âmbito do processo de recuperação judicial do Grupo Borges Landeiro.

Consta na denúncia que, com o objetivo de desviar mais uma parte do patrimônio do Grupo Borges Landeiro, Dejair José Borges, Elias Borges, Rodolfo Montenegro, Vicente Conte, Bruno Burilli, Alex Silva, Ricardo Bonifácio e Adriano Napoli, viabilizaram a transferência das fazendas Barra do Dia e Estrela D’Alva para as pessoas jurídicas Black River Empreendimentos e Participações Ltda. e Fazendas do Pará Participações Ltda.

Com recuperação judicial, o grupo Borges Landeiro ingressou com pedido de recuperação judicial alegando dívidas de R$ 250 milhões, porém, somente o patrimônio em fazendas da empresa é superior a R$ 600 milhões.

A Operação cumpriu 7 mandados de prisão preventiva, 6 de prisão temporária, 26 de busca e apreensão, e 26 ordens/mandados de sequestro de bens, inclusive de várias propriedades rurais.

 

Compartilhe este post: