GoiásPolítica

Caiado adia a definição para março e esfria disputa pela vaga senatorial

O governador Ronaldo Caiado (DEM) resolveu esfriar o debate sobre a escolha do candidato à vaga ao Senado na chapa da base aliada e adiou para a partir de março próximo a definição do nome que estará ao seu lado na campanha eleitoral de 2022. Caiado já bateu o martelo: Daniel Vilela (MDB) será candidato a vice-governador.
Na base governista, são sete hoje os pretendentes à única vaga de senador: Henrique Meirelles (PSD), João Campos (Republicanos), Alexandre Baldy (Progressistas), Delegado Waldir (PSL), Wilder Morais (PSC), Luiz do Carmo e Zacharias Calil (DEM) tentam viabilizar disputa majoritária no bloco governista.
A disputa para a única vaga ao Senado nas eleições do ano que vem mostra um cenário competitivo em Goiás e o processo de afunilamento de nomes já se iniciou. De nove pretendentes, dois ficaram pelo caminho e sete estão no páreo. Novas mudanças poderão ocorrer, até mesmo com surgimento de nomes, até as convenções partidárias, em julho/agosto de 2022. A lista incluía Iris Rezende (MDB) e Daniel Vilela (MDB), que ficaram pelo meio do caminho.
Todos esses pretendentes buscam espaço na chapa encabeçada pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), que concorre à reeleição no pleito do ano que vem. A oposição, representada pelo PSDB, Patriota e PT, ainda não cogitou nomes para a corrida ao Senado Federal. Como existe apenas uma vaga pela base governista e são sete os pretendentes, o governador Ronaldo Caiado deverá fazer composição com os partidos políticos, oferecendo opção de suplente de senador ou de disputa de deputado federal para acomodar todas as forças políticas.
Não sendo escolhidos, Delegado Waldir e João Campos, por exemplo, podem concorrer à reeleição em 2022, já que preservaram suas bases eleitorais no interior do Estado. Delegado Waldir se beneficiará da fusão do PSL com o DEM, que formará forte e competitiva chapa para a Câmara Federal. João Campos entraria na disputa por duas vagas pelo Republicanos, já que o pastor Jeferson Rodrigues, atual deputado estadual, também vai concorrer a deputado federal. (Por Helton Lenine / jornalismo@diariodeaparecida.com)

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo