Segunda, 20 de Setembro de 2021
20 de Setembro de 2021
Publicidade

Caiado anuncia progressão para 5,1 mil servidores da Saúde, com investimento de R$ 835 mil ao mês

Aumento na remuneração será pago já no salário de agosto. Benefício funcional, definido pelo tempo de efetivo exercício do cargo, não era concedido desde 2016

O governador Ronaldo Caiado anunciou ontem, 12, a progressão funcional para 5,1 mil servidores efetivos da Secretaria de Estado de Saúde (SES). A promoção funcional, concedida por tempo de serviço, resulta em um aumento de 3% nos vencimentos e está prevista no Plano de Cargos e Remuneração, estabelecido pela Lei nº 18.464/2014. Os efeitos da concessão já entram em vigor no pagamento deste mês e o acréscimo pode chegar a R$ 491,14.

O anúncio foi realizado durante solenidade no auditório da Superintendência da Escola de Saúde de Goiás, localizada no Bairro Jardim Santo Antônio, em Goiânia. “Estamos conseguindo colocar a casa em ordem. A progressão já entra na conta de vocês este mês. Aos poucos, dentro da recuperação do Estado, retribuímos aos servidores que cuidaram de vidas, se expuseram e têm agora a contrapartida do governo de Goiás”, afirmou o governador.

Ronaldo Caiado também anunciou que enviará à Assembleia Legislativa de Goiás projeto de lei que aumenta o teto da produtividade. Atualmente, o valor é de R$ 8 milhões. O objetivo é elevar o número para R$ 12 milhões e atingir todos os servidores. “Pode chegar a um impacto de mais de R$ 50 milhões por ano”, pontuou o chefe do Executivo.

Com recursos destinados do orçamento-geral do Estado, o investimento do governo de Goiás, para o pagamento das progressões anunciadas nesta quinta-feira, é de R$ 4.176.518,31 em 2021, com valor proporcional por mês de R$ 835 mil. Para 2022 e 2023, a previsão de gastos é de R$ 10.023.643,93 por ano.

“Esse dia é de muita alegria para nós”, destacou o secretário de Estado da Saúde (SES-GO), Ismael Alexandrino, ao informar que a progressão era aguardada há anos pelos servidores. “O cenário que tínhamos do ponto de vista financeiro era de quase R$ 1 bilhão de dívidas na Saúde. Assumimos [o governo] devendo salário, remédios de 2012 a 2018, entre seis e oito meses [de repasses] aos hospitais e todos os fornecedores”, explicou.

Mas isso não fez com que o governo de Goiás deixasse de cumprir com as obrigações, conta Ismael. “De lá para cá, a gente tem trabalhado em todas as frentes e, agora, a primeira parte do pacote de pedidos sai de forma consistente, e vai trazer o direito, dar o ânimo às pessoas que vêm solidificando sua carreira e nos ajudando”, ressaltou o secretário.

Ismael Alexandrino ainda reconheceu o empenho dos servidores estaduais no combate à pandemia da Covid-19. “O maior capital que temos, nossa maior força, nosso diferencial para cuidar da saúde é o trabalhador. É o responsável por salvar tantas vidas durante a pandemia”, concluiu o secretário.

 

Valorização profissional
A última progressão concedida aos servidores da saúde ocorreu em dezembro de 2016. Dos 5.887 servidores do quadro de efetivos da SES, o aumento salarial anunciado contempla 5.188. A parcela do pessoal que não está incluída na progressão não se enquadra nos critérios em virtude de afastamentos, estágio probatório ou, ainda, por não terem adquirido o direito antes da Lei Complementar nº 173/2020, vigente até dezembro de 2021, que proíbe aos gestores públicos qualquer forma de aumento salarial em função da pandemia.

Atualmente, a SES distribui os servidores em cinco grupos operacionais que compreendem desde funcionários com formação em ensino fundamental ao nível superior. São eles: agente de serviços de saúde, assistente de saúde, analista de saúde, médico e cirurgião-dentista e auditor de Sistema de Saúde. A organização ocorre em níveis conforme a instrução exigida para o provimento e exercício dos cargos.

No dia 22 de julho, Caiado anunciou o pagamento das progressões também na carreira da Educação. Foram 3.516 servidores contemplados, sendo 2.285 do magistério e 340 administrativos com a progressão horizontal, que ocorre no mesmo nível de carreira, e 891 beneficiados com a progressão vertical que eleva o servidor de um nível para outro. O investimento soma R$ 1.023.294,52 por mês, pagos com recursos do Estado.

Compartilhe este post: