Notícias

Caiado articula com Adial metas para a retomada econômica de Goiás

Convidado por empresários da associação, governador participou de reunião para dialogar com setor industrial

Da Redação

Saber ouvir é um grande diferencial e uma ferramenta para o sucesso. Focado na recuperação do Estado, o governador Ronaldo Caiado se reuniu, na noite da última terça-feira (4), com representantes do segmento empresarial e industrial goiano, na Associação Brasileira Pró-Desenvolvimento Regional Sustentável (Adial). O encontro teve como objetivo a troca de experiências com vistas a impulsionar Goiás na agenda da retomada.

“Sou uma pessoa preparada pra ouvir as coisas, até porque não sou dono da verdade, não conheço sobre as áreas de vocês nem um milésimo do que vocês têm experiência”, reconheceu o governador.

Em sua fala, Caiado solicitou aos presentes que tenham total liberdade e abertura para encaminhar propostas ao governo. “Um projeto para mim custa seis meses para ser elaborado, com todas as dificuldades. Se vocês evoluem e me entregam um projeto, eu tenho muito mais facilidade e já coloco em licitação”, explicou.

O governador observou que as dez empresas goianas representadas no encontro possuem histórias bem sucedidas, com reconhecimento nacional e até internacional.

Hoje a Adial conta com 130 filiados, entretanto um pequeno grupo participou da reunião e representou os diversos segmentos, tendo em vista os protocolos recomendados para o momento de crise sanitária.

Referindo-se à visita do governador e agradecendo pela abertura do governo para dialogar com o setor, o diretor-executivo da Adial, Edwal Portilho (Tchequinho), anfitrião da noite, enfatizou o esforço e a competência da equipe de governo, capitaneada por Caiado, e colocou a instituição à disposição do Estado para um trabalho conjunto. “Nós ressaltamos a necessidade e a vontade de trabalharmos de mãos dadas e sinergicamente essa retomada, esse novo momento que estamos vivendo”, observou.

A data escolhida para a reunião com Caiado não poderia ser mais emblemática, na manhã desta terça-feira, o governador sancionou a criação da Secretaria da Retomada, voltada especificamente à recuperação da economia no pós-pandemia, com políticas destinadas à geração de emprego, renda e qualificação profissional. Para Tchequinho, os empresário têm muito a contribuir com o governo, já que o segmento é marcado historicamente pela necessidade constante de retomadas.

“Nós deixamos à disposição do governo o nosso conhecimento, nossas experiências nesse momento”, ressaltou. Segundo ele, em Goiás 220 municípios contam ao menos com uma indústria. Dessa maneira, o conhecimento acumulado por grandes empresários goianos pode contribuir para um diagnóstico mais profundo da vocação e da capacidade de cada região, gerando mais crescimento e desenvolvimento. “Nesse momento de retomada, nós apresentamos essa disposição para trabalharmos juntos”, frisou.

Presidente da Jalles Machado S/A, agroindústria sucroenergética, localizada em Goianésia, Otavio Lage lembrou que em seus 25 anos de existência, a Adial tem como premissa agregar experiências capazes de impulsionar o segmento industrial e, consequentemente, o Estado de Goiás. “O gesto do Governo do Estado de vir aqui em nossa sede para poder demonstrar que juntos a gente pode ir mais longe, mais rápido. É engrandecedor”, avaliou. Para ele, um amplo debate é fundamental para a estruturação de projetos.

Outro representante do setor, o presidente da Caramuru Alimentos e ex-presidente da Adial, Alberto Borges, reforçou que o mundo vive uma realidade desafiadora que exige muito diálogo. “Fica a vontade dos empresários e das indústrias de cooperar com o Governo de Goiás, para que nós todos tenhamos sucesso. Cabe a nós exercermos esse papel. A liderança é do governador, mas estamos juntos neste processo de criar esperança para a sociedade como um todo”, sublinhou.

Os empresários tiveram a oportunidade de fazer perguntas e expor suas realidades e sugestões. Dominaram a pauta temas como o crédito subsidiado do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) para obter capital de giro necessário para a sobrevivência das pequenas empresas; o ProGoiás, programa de incentivo fiscais do governo; e a Reforma Tributária. Satisfeito com o resultado, o governador Ronaldo Caiado se dispôs a reunir-se com o setor sistematicamente para trocar experiências que favoreçam o Estado.

 

Gustavo Martins

Estagiário supervisionado pelo editor Jorge Borges

Arquivos relacionados