D1Goiás

Caiado distribui 120 dispositivos de leitura para alunos que possuem deficiência visual

Governo de Goiás liberou, por meio da Seduc, R$ 296,7 mil para três Escolas Famílias Agrícolas (EFAs), Apaes e Associação Pestalozzi, num total de 19 instituições, em 20 municípios (Cristiano Borges)

O governador Ronaldo Caiado realizou ontem, 23, o repasse de R$ 296.760,00 a Escolas Famílias Agrícolas (EFAs), Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) e Associação Pestalozzi. O recurso estadual beneficiará cerca de 2.030 estudantes com deficiência intelectual e múltipla. Durante o evento, ele também entregou 50 Chromebooks e 120 dispositivos de leitura. “Não canso de me emocionar com o que acontece na Educação de Goiás. É de arrepiar o que está sendo feito pela melhoria e respeito a nossos professores e alunos”, afirmou Caiado, que garantiu: “Nós vamos ter as melhores escolas públicas do País e seremos referência nacional.”
O governador também pontuou que faz parte da visão do governo “direcionar o dinheiro público para as pessoas mais vulneráveis e mais necessitadas, que precisam de um olhar diferenciado”. Os valores são referentes à primeira e segunda parcelas do Pró-Escola 2021. Na ocasião, foram contempladas três EFAs e 19 entidades filantrópicas que oferecem educação especial em 20 municípios goianos, sendo 13 Apaes e seis Associações Pestalozzi.
A transferência dessa verba ocorre graças à entrada em vigor do decreto nº 9.901/2021, assinado pelo governador em 7 de julho deste ano. A nova norma regulamenta, na forma da lei federal nº 13.019/2014, a celebração da parceria entre a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e as referidas instituições de ensino. A partir do termo de colaboração firmado, cada entidade receberá dois repasses anuais em valor proporcional à quantidade de alunos matriculados.
“Toda escola é importante, mas existem aquelas que, se o governo não estender a mão, vão morrer”, afirmou a secretária de Estado da Educação, Fátima Gavioli. Em menção às EFAs, defendeu o regime de alternância. “[O aluno] Passa um período e vai para casa. O que ele aprende ali, aplica na propriedade da família e gera renda e, principalmente, foge daquele trânsito dentro dos ônibus escolares, em que a criança passa horas e horas.” Ao discorrer sobre inclusão, pontuou que Apae e Pestalozzi, até então, não tinham representante no Conselho Estadual de Educação. “Foi só neste mandato, que o governador solicitou que fosse nomeado um representante da educação inclusiva, especial”, afirmou.
A gerente de Educação do Campo, Indígena e Quilombola da Seduc, Valéria Cavalcante da Silva Souza, destacou que, pela primeira vez, o repasse de recursos foi realizado para as três unidades com este perfil no Estado. “Hoje é um marco. É uma luta de muitos anos”, celebrou.
“É muito difícil a gente falar em um momento desse, porque há 17 anos estamos diretamente nessa luta”, salientou Maria Nazaré de Jesus, representante das EFAs de Goiás. “O professor, o diretor, o estudante não tinham voz, não podiam questionar e nem ajudar a construir esse documento de parceria. Quando entra Ronaldo Caiado, a gente percebe que a coisa mudou”, frisou Maria.
O técnico pedagógico da Gerência de Educação do Campo, Quilombo e Indígena da pasta, Francisco Alves, considerou significativos os esforços para fortalecer esta modalidade de ensino, voltada para o povo do campo. “Percebemos uma convergência entre o que a professora Fátima Gavioli e o governador Caiado pensam em relação à importância de se amplificar a oferta, melhorar e investir igualmente o que se aplica nas escolas da cidade”, salientou.

 

Inclusão

A presidente da Federação Nacional das Associações Pestalozzi (Fenapestalozzi), Ester Alves Pacheco, pontuou que o ato governamental coincide com a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla, em curso desde o último sábado. “Estamos atuando há cerca de quatro décadas e nunca presenciei um momento de tanta grandeza, de valorização das minorias, do segmento das pessoas com deficiência”, exaltou Ester. “Isso traz uma gratificação a quem trabalha há mais de 20 anos como voluntários das Apaes”, complementou Albanir Pereira, presidente da Apae Goiânia.
Para o vereador por Goiânia William Veloso, ver a celebração do convênio se tornar uma realidade é motivo de comemoração. “Nosso momento é de alegria em poder estar tendo voz e vez, tanto no governo municipal quanto no estadual.” Neste mesmo sentido, o deputado estadual Coronel Adailton complementou: “A verdadeira inclusão é o que nós estamos vendo hoje acontecer em toda a educação do Estado de Goiás.”
“Por muito tempo, as escolas especiais foram vistas como segregadas, que separavam o público da educação especial entre quem era ou não capaz. Mas nós chegamos para mudar essa realidade”, salientou a superintendente de Temáticas Especiais da Seduc, Núbia Rejane.
“Não é fácil, mas este governo conseguiu trazer para a mesma mesa diversos atores da sociedade. Dialogando, encontramos caminhos e enxergamos como é importante termos um olhar principalmente para aqueles estudantes que mais precisam de apoio, sejam eles múltiplos, contínuos, extensivos ou generalizados”, pontuou o procurador jurídico da Apae Goiânia, Eduardo Vieira Mesquita.
Confira a lista das instituições beneficiadas: Escola Maria Montessori, em Anápolis; Escola Especial Santa Clara, em Catalão; Escola Especial Pequena Kássia, em Ceres; Escola Especial Esperança, em Formosa; Escola Especial Francisco Ferreira, em Goianésia; Escola Especial Cora Coralina, em Jaraguá; Núcleo Educacional Prof. Anísio Teixeira, Escola Especial Peter Pan e Escola Especial Prolabor, em Goiânia; Escola Especial Santa Rita de Cássia, em Itumbiara; Escola de Ensino Especial Miguel Vicente da Silva, em Caçu; Escola Especial Jesus Bom Salvador, em Luziânia; Escola Especial Mundo Melhor, em Mineiros; Escola Especial Bela Vista de Goiás, em Piracanjuba; Escola Especial Raio de Luz, em Piranhas; Escola Especial Paz e Fraternidade, em Ipameri; Escola Especial Eliza Gomes da Silva, em Porangatu; Escola Especial Dunga de Oliveira, em Rio Verde; Escola Especial Zeli de Oliveira Vilela, em São Miguel do Araguaia, e, ainda, as Escolas Família Agrícola de Orizona, cidade de Goiás e Uirapuru.

 

Tecnologia

Na solenidade, Caiado também fez a entrega de 50 Chromebooks para estudantes do GoiásTec das regionais de Águas Lindas, Anápolis e Planaltina. O programa lançado pelo governo de Goiás atende mais de 4 mil estudantes da primeira e segunda séries do ensino médio. “Estamos preocupados em dar qualidade de educação e ferramentas necessárias para avançar”, afirmou Caiado em meio aos estudantes, ao retirarem os aparelhos das caixas azuis.
Foram entregues, ainda, cerca de 120 dispositivos de leitura para alunos com deficiência visual das redes estadual e municipal por meio do projeto Goiás Social. “É parte de um programa para trazer o que existe de mais sofisticado. É uma tecnologia israelense e é impressionante a capacidade desses óculos, que facilitam o dia a dia e a aprendizagem das crianças”, disse Caiado. “Estamos intensificando a entrega deste tipo de ferramenta, que vai dar aos pais e alunos uma capacidade enorme de adaptação, ainda nesta fase de evolução cognitiva e neurológica”, reiterou o governador.
Giovana Veríssimo Alves, Ana Clara de Melo, Marcus Vinícius Rodrigues Nunes e Elisvania Rocha Lima foram as crianças que subiram ao palco e receberam em mãos, para representar todas as demais contempladas. “Deus capacita pessoas que têm esse carinho e zelo. A gente que é mãe de criança especial sabe o quanto isso é importante”, disse Lígia Rodrigues dos Santos Nunes, mãe de Marcus.

Você pode se interessar:

Comments are closed.

Mais em:D1