Sábado, 24 de Julho de 2021
24 de Julho de 2021
Publicidade

Caiado ganha força na busca de alianças para reeleição em 2022

Governador deve receber apoio, antes mesmo do ano eleitoral, do MDB, Republicanos e PSD, legendas que hoje estão do espectro oposicionista em Goiás

Helton Lenine

Com foco no combate à pandemia da Covid-19, o governador Ronaldo Caiado (DEM) não tem priorizado articulações visando as eleições do ano que vem, mas mesmo assim partidos como o MDB, Republicanos e PSD podem se antecipar e anunciar apoio à reeleição do governador.

A crise vivida entre o MDB e o prefeito Rogério Cruz, do Republicanos, depois do fato marcante que foi a filiação do ex-ministro Henrique Meirelles ao PSD, já sinalizam enfraquecimento do projeto de poder da oposição, facilitando a composição com o Democratas.

Já decidido a não sentar à mesa com o PSDB do ex-governador Marconi Perillo e agora afastado da prefeitura de Goiânia, o ex-deputado federal e presidente estadual do MDB Daniel Vilela só tem a alternativa de se aproximar do governador Ronaldo Caiado, com quem já abriu um sólido canal de diálogo depois da morte do seu pai Maguito Vilela, vítima da Covid-19.

Daniel disse nesta semana ao site A Redação que não tem “porta fechada ou nem é inimigo de ninguém” ao ser perguntado sobre possível aliança com o governador Ronaldo Caiado (DEM) no próximo pleito. Ele destacou que nunca fez qualquer “ataque pessoal” ao governador, mesmo quando se confrontaram na eleição de 2018 Ainda segundo o líder emedebista, Caiado foi “muito respeitoso” durante o momento vivido por sua família com a perda de Maguito Vilela em janeiro deste ano. “Eu fiz questão de agradecer pessoalmente ao governador por esses gestos.”

Na bolsa de especulações, no momento, Daniel Vilela é cogitado para figurar como candidato ao Senado da República ou mesmo a vice-governador na chapa da reeleição de Caiado. “Daniel tem a chance de já garantir um acordo e a vaga ao Senado. Não vejo mais aquela possibilidade de juntar todo mundo (da oposição) e fazer uma frente ampla”, diz um deputado estadual emedebista ao jornalista que assina esta matéria.

Entre aliados de Ronaldo Caiado, existe a percepção de que há disposição teórica do governador para antecipar eventuais alianças, inclusive com a possibilidade de abertura de espaços na administração estadual para membros do MDB, Republicanos e PSD, desde já.

Desde a morte de Maguito Vilela, Daniel Vilela e Ronaldo Caiado têm tido encontros frequentes no Palácio das Esmeraldas, sem testemunhas. E, pelo andar da carruagem, as eleições de 2022 estão incluídas nas conversas entre os dois.

Aliança DEM/Republicanos, se depender de Cruz, está selada

Desde a posse, em 1º de janeiro último, o prefeito Rogério Cruz tem mantido encontros e conversas frequentes com o governador Ronaldo Caiado para tratar de temas que interessam à administração em Goiânia.

A recente decisão de Cruz de se aliar ao Palácio das Esmeraldas nas medidas de combate à pandemia da Covid- 19 sinalizou a “boa convivência e afinidade política” entre o prefeito e o governador, o que contribui bastante com uma aproximação do Republicanos com o Democratas.

Com a adesão da prefeitura de Goiânia decreto estadual de isolamento social 14×14, a posição do prefeito de Aparecida Gustavo Mendanha, luminar do MDB, acabou se enfraquecendo, já que ele ficou sozinho como o único gestor de grande cidade, em Goiás, a divergir da orientação de Caiado nas medidas de enfrentamento à pandemia. 

Desde que chegou ao Paço Municipal o partido Republicanos ampliou as suas pretensões no sentido de alcançar maior espaço na política de Goiás, com a gestão de Rogério Cruza assumindo o papel de principal vitrine administrativa da legenda no Brasil. Uma aliança com o Democratas caiadista fortaleceria, por exemplo, o projeto do partido de eleger o atual deputado federal João Campos para o Senado Federal nas eleições do ano que vem.

Com o MDB e o Republicanos já enviesados na direção de uma incorporação ao projeto da reeleição de Caiado, resta o PSD de Goiás, hoje presidido pelo ex-deputado federal Vilmar Rocha, mas dividindo influência internamente com o senador Vanderlan Cardoso e com o deputado federal Francisco Jr, que atuam ostensivamente não só para confirmar aliança com o DEM caiadista, mas também para antecipá-la, fortalecendo o projeto de candidatura do goiano Henrique Meirelles, ex-ministro da Fazenda, para o Senado Federal no pleito do ano que vem, ao lado de Caiado. Em resumo, a evolução do quadro político em Goiás conspira a favor do governador e da sua meta de conquista de mais um mandato. (H.L.)

Compartilhe este post: