Quinta, 06 de Maio de 2021
06 de Maio de 2021
Publicidade

Câmara realiza última sessão ordinária do ano

Na manhã desta quinta-feira, 10, os vereadores de Aparecida de Goiânia realizaram sua última sessão ordinária de 2020, onde o clima de despedida reinou no ambiente

O vereador Manoel Nascimento (DEM), que não quis se candidatar no último pleito, disse que se sente honrado de ter feito parte dessa Casa por tantos anos. “É uma honra ter passado tantos anos na Câmara, e a história vai dizer o quanto fizemos por Aparecida de Goiânia, com a criação de várias leis que beneficiaram a população”, pontuou Nascimento.

Rosildo Manoel (PP), que não foi reeleito, se despediu  dizendo que sai com o sentimento de dever cumprido e de cabeça erguida. “Agradeço a minha família, aos funcionários dessa Casa, aos parceiros parlamentares, e mesmo sem mandato vou continuar trabalhando em prol da cidade, porque meu lema é nunca desistir”, falou o vereador com muita emoção.

Mazinho do Madre Germana (PP), que também foi reeleito, disse que esse seu primeiro mandato o ensinou muito. “Sei que pelo menos de uma forma pequena eu  contribuí para cidade”, pontuou Mazinho.

Hilário Giacomett (MDB), que está em seu quarto mandato, e o parlamentar mais velho da Casa, se despediu agradecendo já que não foi reeleito. “Fui vereador, fiquei um tempo  fora, e voltei para essa Casa de Leis e pude fazer mais ainda, dando sempre o meu melhor”, declarou Hilário.

O vereador Arnaldo Leite (MDB) também se despediu usando a palavra gratidão como ponto de partida. “Agradeço por tudo que passei por aqui, a grande carga de conhecimento e o crescimento que adquiri durante os dois mandatos que cumpri nesta Casa, tenho o sentimento de dever cumprido, mas com a vontade de ter feito mais”, relatou o emedebista.

Já o vereador Elias Junior (PP), falou que se sente honrado de ter passo pela Casa, e que pode fazer um serviço digno de luta pela comunidade. “Eu trabalhei com homens dignos e que levam a sério o seu compromisso com a comunidade, e deixo para os vereadores que ficaram nessa Casa, tenha personalidade, posicionamento, pulso firme sejam livres para fazer o que acha correto, e não de fazer a vontade do Executivo” pontuou Elias Junior.

Compartilhe este post: