Terça, 09 de Março de 2021
09 de Março de 2021

“Choro de quem está devendo”, diz Rodney sobre acusações de Marconi

Titular da Segurança Pública revela que há indícios graves de cometimento de crime nas gestões anteriores. Apuração ocorre em parceria com Ministério Público e Poder Judiciário

O secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda, rebateu neste sábado (05/12) as acusações do ex-governador Marconi Perillo (PSDB) de que a atual gestão estadual o estaria perseguindo. “Isso é muito mais choro de quem está devendo do que qualquer outra coisa”, disse. “Não há nenhum uso político [das forças policiais]. Isso não combina com a história do governador e nem com a minha.”

Rodney, aliás, sinalizou que essa pode ser uma tentativa do ex-governador de desviar o foco da verdade. “O que existem são indícios gravíssimos de cometimento de crime nas gestões que nos antecederam”, revelou o titular da Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO). Ele também garantiu que essas investigações envolvendo o governo tucano “são apuradas juntamente com o Ministério Público e com o Poder Judiciário”.
Outra afirmação de Marconi que Rodney rechaçou foi a de que a redução dos índices de criminalidade, observada em 2019 e 2020, seria consequência das ações do governo passado. Na verdade, o que o atual governo herdou, disse o titular da SSP-GO, foi uma polícia sucateada, desmotivada e desvalorizada. Como exemplo, mencionou estruturas e equipamentos em más condições, e que agora passam por reformas e melhorias.

O secretário lembrou que o governo tucano foi o responsável por criar a categoria de policiais militares de 3ª classe. À época, mais de 10% da tropa recebia apenas R$ 1,5 mil por mês, o pior salário do Brasil. Em menos de dois anos, Caiado extinguiu essa classe e promoveu os 1.985 militares. “Também pegamos promoções atrasadas e outra série de problemas que estamos trabalhando [para solucionar]”, explicou.

Entre as forças de segurança beneficiadas com as promoções estão a Polícia Militar, o Corpo de Bombeiros, a Polícia Civil, a Polícia Técnico-Científica e, conforme a projeção do secretário, haverá um cronograma para inclusão da Polícia Penal.
Sobre o sistema penal, Rodney mencionou, durante a entrevista, a operação realizada neste sábado que transferiu mais de mil detentos da Penitenciária Odenir Guimarães (POG). A estrutura, construída na década de 1960, passará por reforma. “Com 20 anos do governo passado, ninguém enfrentou esse problema. Foram várias rebeliões, vários tipos de desafios que as forças de segurança tentaram resolver, sem apoio nenhum. Hoje estamos dando solução para esse problema.”

O secretário também falou da liberdade que as forças de segurança adquiriram para o desempenho de suas funções. “Todo policial que nos encontra fala que nunca tiveram tanta liberdade para atuar, tanto apoio. Isso o ex-governador não vai poder dizer nunca, até porque a situação que nós pegamos a segurança pública tinha tudo, menos apoio.”

Compartilhe este post: