Terça, 20 de Abril de 2021
20 de Abril de 2021
Publicidade

Combate ao coronavírus em Goiás é destaque na imprensa do Brasil e do mundo

Decisões foram assertivas e deram tempo para que Estado estruturasse hospitais de campanha em diversas localidades, não apenas em Goiânia

 

Desde o início do combate e enfrentamento ao novo coronavírus no Brasil e em Goiás, o governador Ronaldo Caiado ganhou destaque em veículos nacionais e internacionais pela implantação de protocolos rigorosos de quarentena para evitar a disseminação da Covid-19. No final de março, um editorial do jornal britânico The Guardian ressaltou a luta de Goiás em manter a população consciente dos riscos da proliferação da doença, que poderá levar a rede de saúde pública a um colapso e potencializar o número de óbitos.

Nesse sentido, junto à Secretaria Estadual da Saúde (SES-GO), Ronaldo Caiado segue todas as orientações e recomendações definidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e Ministério da Saúde (MS) para fazer com que o número de pessoas contaminadas seja o menor possível. Orientações e recomendações estas que são fundamentadas em pesquisas e dados científicos e técnicos nacionais e internacionais, principalmente de países que já enfrentaram a doença antes de Goiás.

Levantamento realizado pelo Imperial College, de Londres, publicado em 26 de março de 2020, apontou que ações de prevenção à disseminação do coronavírus poderiam salvar 1,1 milhão de brasileiros. Na mesma semana, a agência France Presse (AFP) divulgou que pelo menos 2,8 bilhões de pessoas, que corresponde a um terço da população mundial, vivem sob algum tipo de restrição ou quarentena.

Completando um mês de restrição de circulação de pessoas, Goiás continua no mesmo caminho que os líderes mundiais trilharam, assim que a Covid-19 chegou aos países estrangeiros, com medidas de isolamento social. China, Hong Kong e Coreia do Sul restringiram aglomerações, fecharam escolas e serviços não essenciais. Enquanto isso, França e Reino Unido adotaram essas medidas e ainda bloquearam fronteiras com países de fora da União Europeia. Outros países também fecharam fronteiras terrestres, marítimas e aéreas.

Assim como as atitudes tomadas pelo governador foram referência no Brasil, como o primeiro Estado a decretar isolamento social, a rede estadual de saúde também passou a ser notícia em diversos veículos. Nesta semana, o jornal Correio Braziliense evidenciou a realização de produção própria de equipamentos de proteção, por uma equipe da Oficina Ortopédica do Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (CRER).

Os profissionais produzem agora entre 40 e 50 máscaras e protetores faciais por dia, que são utilizadas tanto no próprio Crer quanto no Hospital de Campanha ao Enfrentamento do Coronavírus (HCamp) e Hospital de Urgências Dr. Otávio Lage de Siqueira (Hugol) no atendimento de pacientes com Covid-19.

Além de demonstrar o nível de assertividade das decisões de Ronaldo Caiado, todas essas atitudes contribuíram para que Goiás não tivesse um número de contaminação e morte em massa em decorrência do novo coronavírus. Assim como o período de isolamento social foi fundamental para a estruturação e hospitais de campanha em diversas localidades do Estado, não apenas em Goiânia, onde a incidência da curva de infecção é maior.

Compartilhe este post: