Notícias

Começa nesta segunda-feira, 08, o escalonamento do comércio, em Aparecida

A Prefeitura de Aparecida de Goiânia informa que, por motivos técnicos, foi necessária a alteração de funcionamento de seis macrozonas da cidade. As macrozonas Centro e Expansul, não abrem seus comércios e serviços nas quartas-feiras; Santa Luzia e Papillon Park fecham nas quintas-feiras; e as macrozonas Cidade Livre e Buriti Sereno às sextas-feiras. O escalonamento regional entra em prática nesta segunda-feira, 08 de junho, e a cada dia da semana, uma macrorregião será fechada, evitando a circulação de pessoas nas ruas aumentando o isolamento social.

“Nosso objetivo é ampliar o isolamento social, alcançando a meta da 50% recomendada pela OMS evitando assim o colapso do sistema público de saúde, preservando vidas”, pontuou o prefeito Gustavo Mendanha destacando também que a gestão vem, desde 22 de abril, construindo um plano de enfrentamento com maior previsibilidade de isolamento social e para combater a Covid-19 com aumento de leitos para tratamento e aumento da testagem na população de 15 exames por semana para cerca de 300 por dia com o drive-thru.

As 10 macrorregiões foram divididas em Jardim Alto Paraíso, Vila Brasília, Buriti Sereno, Expansul, Papillon Park, Santa Luzia, Zona da Mata, Centro, Cidade Livre e Garavelo. Os fechamentos regionais acontecerão um dia por semana, em duas macrozonas diferentes. Como mostra o quadro abaixo, nas segundas-feiras serão fechados os comércios, inclusive os essenciais como farmácias, padarias, distribuidoras e supermercados, nas macrorregiões da Vila Brasília e Jardim Alto Paraíso.

Nas terças-feiras não funcionarão os estabelecimentos das macrorregiões Garavelo e Zona da Mata; nas quartas ficarão sem abrir os comércios das macrorregiões Centro e Expansul; já nas quintas-feiras não abrem Santa Luzia e Papillon Park; por fim, nas sextas-feiras ficam fechados os estabelecimentos da região Cidade Livre e Buriti Sereno. Os Sábados e domingos não entram neste primeiro cenário do escalonamento, podendo nos moldes do alvará de liberação de funcionamento de acordo com cada CNPJ.

“A maioria dos estabelecimentos funcionam até às 13h no sábado e domingo é comumente conhecido como dia de descanso onde apenas alguns serviços abrem. Por isso pedimos que a população se programe e não saiam às ruas, indo em outras regiões, nos dias de fechamento daqueles estabelecimentos dos bairros em que moram”, destacou o secretário de Saúde e coordenador do Comitê de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus, Alessandro Magalhães.

Fiscalização

Para garantir o cumprimento das normas de segurança contra o contágio do novo coronavírus no comércio e garantir que os estabelecimentos das macrorregiões fiquem sem funcionar nos dias estipulados a cada uma, a Prefeitura de Aparecida aumentou de 500 para 800 o número de servidores que atuam na fiscalização orientativa e ostensiva do município. Os 300 novos profissionais designados para essa atividade começarão a trabalhar nesta segunda-feira, 08, em conjunto com as equipes que já atuam nas fiscalizações desde o dia 28 de abril, data em que foi flexibilizado o funcionamento de 82% das atividades comerciais de Aparecida.

De acordo com o secretário da Fazenda de Aparecida, André Luis Rosa, todos os estabelecimentos precisam atender as regras e não abrir nos dias estipulados para a macrorregião em que está inserido. “Até mesmo os supermercados, mercearias, distribuidoras e farmácias não poderão funcionar nesses dias. A exceção é apenas para hospitais; órgãos públicos e concessionários de serviços públicos; segurança pública e privada; atividades religiosas, que já cumprem rodízio; funerárias; indústrias dos Pólos Industriais com mais de 15 trabalhadores que fornecerem transporte coletivo; e as feiras que terão regras próprias com rodízio”, pontuou o secretário. Continua não permitido o funcionamento de Academias, Arenas de Esporte, Galerias, Bares, Restaurantes, sendo permitidos esses últimos apenas em forma de delivery. Eventos também continuam suspensos.

Efetividade do Escalonamento

O secretário de Saúde, Alessandro Magalhães, explicou as estratégias de enfrentamento à Covid-19 adotadas pela Prefeitura, que também obedecem às recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Segundo ele, elas podem ser resumidas em três frentes: testar, isolar e cuidar. “Aparecida já realizou mais de seis mil testes para diagnóstico da Covid-19. Definimos critérios para a realização do exame e nossas estatísticas comprovam que a testagem tem sido eficaz: a cada 11 exames realizados diagnosticamos um positivo. Essa testagem em massa, bem direcionada, nos permite o diagnóstico e o isolamento precoce dos contaminados”, afirmou.

Segundo o secretário, em 62% dos casos positivos da cidade a Secretaria identificou a origem da infecção: “Nossa equipe de telemedicina liga todos os dias para os casos confirmados e acompanha o isolamento, rastreando a contaminação”. De acordo com Alessandro Magalhães, até hoje, apenas 12% dos pacientes diagnosticados com Coronavírus em Aparecida de Goiânia precisaram de internação, sendo que 7% ficou hospitalizado em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). “Nesse sentido, ampliamos a oferta de leitos. Atualmente, temos 63 UTI´s exclusivas para pacientes com Covid-19 e 60 semi-UTI´s. Além disso, firmamos uma parceria com o Hospital Sírio-Libanês e diariamente os médicos de lá avaliam remotamente nossos pacientes. Isso nos permite usar protocolos médicos avançados”, detalhou.

Para Alessandro Magalhães, essas medidas fecham o ciclo de recomendações da OMS, que aliadas ao cenário epidemiológico municipal embasam as ações de enfrentamento ao Coronavírus. “Diariamente monitoramos a taxa de ocupação dos nossos leitos e o coeficiente de incidência da doença. A partir desses dados, seguindo a matriz de risco do Ministério da Saúde, temos que hoje o risco da pandemia em nossa cidade é baixo. Caso esse risco mude de patamar, o escalonamento também vai mudar, de forma a ficar mais rígido”, completou.

A aprovação do escalonamento do comércio foi tomada nesta segunda-feira, 1º, durante reunião do Comitê na sede da Cidade Administrativa. A discussão sobre a nova portaria contou com a presença de representantes do Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO), Defensoria Pública, Câmara de Vereadores, OAB Subseção Aparecida, Associação dos Feirantes de Aparecida, Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia (Aciag). Sesi/Senai, Sebrae Regional Aparecida e Federação das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte em Goiás (Femicro-GO). “Além dos estudos feitos pelos membros do comitê, realizamos reuniões diárias com comerciantes de todas as macrorregiões de Aparecida para debater o assunto e informar todos os passos a serem tomados pela gestão, que tem o objetivo de preservar vidas”, pontuou o prefeito Gustavo Mendanha.

Mayara Ferreira

Estagiária supervisionada pelo editor Jorge Borges

Arquivos relacionados