Domingo, 19 de Setembro de 2021
19 de Setembro de 2021
Publicidade

Covid-19: vacinação de pessoas com comorbidades começa em maio

Informação foi divulgada pelo Ministério da Saúde, que calcula que esse grupo abarque 17,7 milhões de brasileiros

A vacinação de pessoas com comorbidades contra a Covid-19 deve começar em maio, segundo previsão do Ministério da Saúde. O termo é empregado para designar pessoas com condições de saúde, como doenças graves, que as deixam com mais risco de uma eventual infecção pelo novo coronavírus evoluir para um quadro grave.
O ministério calcula que esse grupo abarque 17,7 milhões de pessoas. Esse é o segmento prioritário logo após idosos em instituições de longa permanência, trabalhadores da saúde, povos indígenas e idosos. Parte dos profissionais de forças de segurança foi incluída antes do grupo com comorbidades.
O Ministério da Saúde orienta as autoridades locais de saúde que, dentro do universo das pessoas acometidas com comorbidades, seja empregado o critério de idade em grupos de intervalos de cinco anos. Assim, seriam imunizadas primeiro as pessoas com 55 a 59 anos. Em seguida, aquelas com 50 a 54 anos. E assim por diante, até a idade mínima dos grupos prioritários, de 18 anos. A Agência Brasil entrou em contato com o Ministério da Saúde para saber o número de vacinas disponíveis e quanto tempo levará para concluir o atendimento dessas pessoas, mas não obteve retorno.

Goiás tem 616 mil indivíduos portadores de morbidades

Foi divulgada pelo governo de Goiás na última terça-feira, 20, a atualização do Plano de Operacionalização para a Vacinação Contra a Covid-19 no Estado de Goiás. Documento segue declaração feita pelo governador do Estado, Ronaldo Caiado (DEM), no último dia 16, sexta-feira, sobre a finalização de imunização de idosos no Estado, que deve acabar até o final de abril, e o início da vacinação de pessoas com comorbidades, que deve se dar a partir de maio.
Segundo o documento, que tem como base a análise do cenário epidemiológico e a Campanha Nacional de Vacinação Contra Influenza, entende-se que a definição de grupos prioritários também deve ser utilizada na operacionalização da vacinação contra Covid-19. Assim, com a finalização da imunização dos grupos que incluem trabalhadores da área da Saúde, a população idosa (pessoas com 60 anos ou mais), indígenas aldeados em terras demarcadas, comunidades tradicionais ribeirinhas e quilombolas e população em situação de rua, a prioridade será das pessoas com comorbidades.
De acordo com levantamento realizado pelo censo de 2019 do Sistema Único da Assistência Social (SUAS), estima-se que Goiás tenha cerca de 616 mil pessoas que são consideradas portadoras de morbidades. A priorização de pessoas com morbidades também faz parte do Plano Nacional de Vacinação (PNI) contra a Covid-19, estabelecido pelo governo federal, uma vez que constam como integrantes da terceira fase do plano emergencial de imunização.
Após a finalização desse grupo, seguem-se na prioridade a população privada de liberdade, que totaliza mais de 22,9 mil pessoas, de acordo com dados do Departamento Penitenciário Nacional (Infopen) de 2020. A seguir, têm-se os trabalhadores da educação, pessoas com deficiências permanentes e severas, membros das forças de segurança e salvamento – que já começaram a ser imunizados –, funcionários do sistema de privação de liberdade e os trabalhadores do transporte coletivo e de transportadores rodoviários de carga.

Compartilhe este post: