Quinta, 29 de Julho de 2021
29 de Julho de 2021
Publicidade

Cruz leva coordenador de plano
de governo para a prefeitura

Helton Lenine 

O prefeito Rogério Cruz (Republicanos) está determinado a cumprir o plano de governo concebido na campanha por Maguito Vilela (MDB). Para isso, Fábio Cammarota (foto), que foi coordenador dos trabalhos em 2020, assume o Escritório de Prioridades Estratégicas e vai atuar nas ações das secretarias juntamente com o secretário de Governo, Arthur Bernardes.

Curriculum
O consultor de gestão Fábio Cammarota atuou na elaboração do plano de governo de Ronaldo Caiado (DEM) em 2018, e foi secretário-chefe da Secretaria-Geral da Governadoria de junho de 2019 a junho de 2020.

Filiações ao DEM
O DEM recebeu as filiações dos prefeitos Kleber Freitas, de Santo Antônio de Goiás; Rogério Neto, de Damolândia; e Zé da Gueroba, de Brazabrantes. O primeiro deixou o PP e os outros dois saem do PSDB.

Desidratação
O PSDB elegeu 20 prefeitos em 2020 e pode terminar 2021 com apenas três prefeitos em suas fileiras. A pandemia e as recentes mudanças no diretório estadual podem ter contribuído para a perda de quadros.

Bolsonaristas
Seguidores do presidente Jair Bolsonaro criticam, nas redes sociais, Jorge Kajuru (Cidadania) por conta da CPI da Covid-19. O senador goiano foi um dos que acionaram o STF para a instalação da comissão.

Bolsonaristas II
Logo após perceber a repercussão negativa sobre a CPI da Covid (junto aos bolsonaristas), o senador Kajuru postou, em suas redes sociais, que havia conversado com o presidente e que “ele mesmo [Bolsonaro] vai dizer sobre minha posição isenta e nunca contra ele”.

Clima tenso
Subiu a temperatura na política de Goiânia, com troca de farpas entre o prefeito Rogério Cruz (Republicanos), o ex-deputado federal Daniel Vilela (MDB) e a viúva de Maguito Vilela, Flávia Teles.

Clima tenso II
Na edição de domingo do Jornal Opção, Daniel Vilela evita confronto direto com o prefeito Rogério Cruz e expõe divergências com “pessoas de fora” que chegaram na gestão.

Auxílio emergencial
O deputado Antônio Gomide (PT) tem buscado convencer a base do Governo Caiado na Assembleia Legislativa a apoiar a iniciativa de um programa de auxílio emergencial à população vulnerável.

Só em 2022
Diferente de pleitos anteriores, os presidentes das maiores siglas de Goiás preferem deixar decisões políticas para o ano de 2022. “Pandemia e mudanças dramáticas no cenário estadual pedem cautela”, ponderam muitos dirigentes.

Cruz faz live
O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), fez live, ontem, acompanhado da primeira-dama, Thelma Cruz, para prestar contas à população de 100 dias de sua gestão.

Ritmo de trabalho
O prefeito Gustavo Mendanha (MDB) deve retomar esta semana a sua agenda de trabalho, através de videoconferência, de casa, para manter contatos com secretários e vereadores.

Vazio na política
Aparecida de Goiânia perdeu importantes vultos políticos: João Antônio Borges (ex-presidente da Câmara Municipal), Maguito Vilela (ex-prefeito) e Léo Mendanha (ex-deputado estadual).

Nailton quer MDB no palanque de Caiado
Ex-prefeito de Bom Jardim de Goiás e ex-presidente estadual do MDB, Nailton de Oliveira (foto) defende que o seu partido aprove aliança com o DEM para apoiar a reeleição do governador Ronaldo Caiado em 2022. “O melhor para o MDB é caminhar com Caiado e adiar para 2026 o projeto de disputar o governo de Goiás.”

RESUMO

O deputado federal Professor Alcides tem conversado com prefeitos e vereadores de sua base política sobre a conveniência de deixar, em abril do ano que vem, o Progressistas.

Tanner de Melo, ex-vice-prefeito e filho do primeiro prefeito eleito de Aparecida de Goiânia, ressalta as qualidades de Léo Mendanha: “Uma pessoa dedicada integralmente às causas de nossa cidade desde que aqui chegou de Inhumas.”

O presidente da Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia, André Fortaleza, diz que a Casa vai prosseguir com as homenagens póstumas ao ex-deputado Léo Mendanha.

Secretária estadual de Economia, Cristiane Schmidt (foto) apresenta amanhã, 14, na Assembleia Legislativa, que Goiás fechou 2020 com uma redução de 70% na dívida de curto prazo, quando comparado a 2018. Ela vai informar que, apesar da pandemia, o ano de 2020 terminou com um saldo orçamentário positivo no Estado.

Compartilhe este post: