Segunda, 20 de Setembro de 2021
20 de Setembro de 2021
Publicidade

Depois de superar jogo dúbio de Mendanha, Valéria Pettersen já assumiu na equipe de Cruz

Vereadora aparecidense recebeu o sinal verde do prefeito de Aparecida, que, pressionado por Daniel Vilela, recuou e desaconselhou a posse

Depois de um mês de vaivém, em que primeiro foi indicada para um cargo, a Secretaria da Educação, e depois foi parar em outro, a Secretaria de Articulação Institucional, que inicialmente teria desistido de assumir, a vereadora de Aparecida Valéria Pettersen finalmente tomou posse na equipe de auxiliares de Rogério Cruz.
Na pasta de Articulação Institucional, ela se encarregará de buscar recursos em Brasília para investimentos em Goiânia. A parlamentar aceitou o convite depois de ganhar o sinal verde do prefeito Gustavo Mendanha – os dois são do MDB. Chegou a afirmar, na época, que iria para a Capital para articular a aproximação do prefeito de Aparecida com o governador Ronaldo Caiado e a sua transferência para o Republicanos – dizendo com todas as letras que seria o momento de Mendanha sair da “sombra” do presidente estadual do MDB, Daniel Vilela, e buscar seu próprio espaço na política estadual.
Essas declarações pegaram mal e levaram a uma reação negativa de Daniel Vilela. Ele procurou Mendanha e mostrou a inconveniência de alguém filiado ao MDB assumir uma vaga no secretariado em Goiânia depois do rompimento do partido com Rogério Cruz. O prefeito aparecidense percebeu a gafe, recuou e tentou convencer Valéria Pettersen a desistir da mudança para Goiânia. Já era tarde.
A vereadora fez o mesmo trabalho quando ocupou a Secretaria de Captação de Recursos da Prefeitura de Aparecida no 2º mandato de Maguito. O convite para ocupar a pasta similar na Prefeitura de Goiânia deixou Valéria Pettersen entusiasmada e ela resolveu não obedecer a nenhuma orientação, senão a sua própria, decidindo pela posse na Secretaria de Articulação Institucional do prefeito Rogério Cruz.
Mendanha, diante da má notícia, correu para não ficar com a barra suja diante de Daniel Vilela, a quem apregoa fidelidade em público, embora nos bastidores nem sempre mostre a mesma lealdade. Ele fez postagens nas redes sociais e plantou declarações na imprensa dizendo-se contrário à presença de Valéria Pettersen no Paço Municipal da Capital. Aproveitou para mais uma vez garantir que, sim, é fiel a Daniel Vilela, a quem considera como “irmão”.
No entorno do prefeito de Aparecida, é enorme a pressão para que abandone o MDB e se filie a um partido em que possa ter oportunidades, como, por exemplo, o Republicanos. “O MDB já deu o que tinha que dar para a carreira do Gustavo, ele hoje governa o 2º maior colégio eleitoral do Estado e se tornou maior que o partido”, ressaltou para o Diário de Aparecida um dos mais destacados membros do chamado grupo de Aparecida.

João Campos: “Queremos montar chapas competitivas”

Fortalecido com a Prefeitura de Goiânia, que caiu de bandeja em suas mãos após a morte de Maguito Vilela, o partido Republicanos é a bola da vez em Goiás. A sigla, comandada pelo deputado federal João Campos, quer chegar forte à eleição do próximo ano, especialmente para ganhar maior representação na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados. Se tudo der certo, o plano é lançar o próprio João Campos, que está no 5º mandato de deputado federal, além de chapas competitivas para deputados estadual e federal.
“Estamos ampliando a estrutura do partido no Estado. Estamos estruturando o Republicanos em todos os municípios. Esse é nosso desafio no momento”, afirma o deputado, que conversou com o Diário de Aparecida na sexta-feira, 30, durante solenidade de posse dos novos auxiliares do prefeito Rogério Cruz em Goiânia. Ele não admitiu, mas a vereadora Valéria Pettersen é peça chave nesse processo de crescimento do Republicanos e pode até ser candidata à Assembleia – embora filiada no momento ao MDB.
Um dos responsáveis diretos pela aliança do Republicanos com o então candidato a prefeito Maguito Vilela (MDB), ano passado, que levou o partido à vitória na Capital, João Campos também fez indicações para a Prefeitura de Aparecida. Ele observa que o fim das coligações proporcionais exige dos partidos maior poder de articulação e convencimento para a formação das chapas proporcionais.
“Nesse sentido, temos a colaboração do deputado estadual Jeferson Rodrigues, do secretário municipal de Desenvolvimento Humano e Social, José Antônio, do vereador Leandro Sena, e do Rodrigo Melo (PROS), que agora vem para o partido”, enumera. “Tudo isso a gente tem compartilhado com o prefeito Rogério Cruz e com os prefeitos das outras oito cidades que compõem o nosso partido em Goiás”, finaliza o deputado.

Três novos secretários tomaram posse na Prefeitura de Goiânia

Fortalecido com a Prefeitura de Goiânia, que caiu de bandeja em suas mãos após a morte de Maguito Vilela, o partido Republicanos é a bola da vez em Goiás. A sigla, comandada pelo deputado federal João Campos, quer chegar forte à eleição do próximo ano, especialmente para ganhar maior representação na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados. Se tudo der certo, o plano é lançar o próprio João Campos, que está no 5º mandato de deputado federal, além de chapas competitivas para deputados estadual e federal.
“Estamos ampliando a estrutura do partido no Estado. Estamos estruturando o Republicanos em todos os municípios. Esse é nosso desafio no momento”, afirma o deputado, que conversou com o Diário de Aparecida na sexta-feira, 30, durante solenidade de posse dos novos auxiliares do prefeito Rogério Cruz em Goiânia. Ele não admitiu, mas a vereadora Valéria Pettersen é peça chave nesse processo de crescimento do Republicanos e pode até ser candidata à Assembleia – embora filiada no momento ao MDB.
Um dos responsáveis diretos pela aliança do Republicanos com o então candidato a prefeito Maguito Vilela (MDB), ano passado, que levou o partido à vitória na Capital, João Campos também fez indicações para a Prefeitura de Aparecida. Ele observa que o fim das coligações proporcionais exige dos partidos maior poder de articulação e convencimento para a formação das chapas proporcionais.
“Nesse sentido, temos a colaboração do deputado estadual Jeferson Rodrigues, do secretário municipal de Desenvolvimento Humano e Social, José Antônio, do vereador Leandro Sena, e do Rodrigo Melo (PROS), que agora vem para o partido”, enumera. “Tudo isso a gente tem compartilhado com o prefeito Rogério Cruz e com os prefeitos das outras oito cidades que compõem o nosso partido em Goiás”, finaliza o deputado.

Compartilhe este post: