Domingo, 07 de Março de 2021
07 de Março de 2021

Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil: Aparecida destaca ações que contribuem na erradicação do problema

O trabalho infantil no Brasil atinge mais de 2 milhões de meninos e meninas entre 5 e 17 anos

Esta sexta-feira, 12, é o dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil e para o enfrentamento da questão, a Secretaria de Assistência Social de Aparecida de Goiânia promove um conjunto de intervenções que vão desde a sensibilização e conscientização da família e da sociedade sobre as consequências do trabalho para a vida desses pequenos trabalhadores, até iniciativas que garantam melhores condições de vida às suas famílias.

“O trabalho infantil deixa marcas na infância que, muitas vezes, tornam-se irreversíveis e perduram até a vida adulta. Traz graves consequências à saúde, à educação, ao lazer e à convivência familiar em aspectos físicos, psicológicos e educacionais. Não estamos falando daquela contribuição dentro de casa, pois este apoio ajuda a fortalecer os vínculos familiares e formar caráter. Falamos aqui do trabalho que impede que a criança e ao adolescente vá para a escola ou tenha seu momento de lazer, que são direitos garantidos. Por isso atuamos forte em cima deste tema, tanto com as crianças quanto com os adultos”, destacou a primeira-dama e secretária de Assistência Social, Mayara Mendanha.

A secretária ressalta que o tema é trabalhado nos Centros de Convivência e Fortalecimento de Vínculo constantemente, mas todos os anos nesta data, a secretaria atua mais enfaticamente. “É de praxe realizarmos todo dia 12 de junho eventos e campanhas de conscientização, blitz educativas, distribuição de materiais que falam sobre o assunto, além de trabalhar o tema nas escolas e nas comunidades para conscientizar e fortalecer que o trabalho infantil não deve ser incentivado ou aceito pela sociedade. Este ano, mesmo com a pandemia não podemos deixar de conscientizar a população e, por isso, vamos divulgar e alcançar o máximo de pessoas possíveis”, explicou.

De acordo com a coordenadora das Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil de Aparecida (PET), Anyelle Dutra, outra grande luta é o trabalho infantil informal. “Existe uma grande dificuldade nossa e dos órgãos competentes, como o Conselho Tutelar, em identificar o trabalho infantil, pois geralmente estão na informalidade. Por isso é importante a população denunciar. Soma-se a isso a falsa visão de que o trabalho precoce prepara a criança para o futuro e a torna mais responsável, além da dificuldade financeira de muitas famílias que contam com a participação dos filhos no orçamento familiar”, salientou a especialista que informou o número para denúncias, o dique 100.

Compartilhe este post: