Saúde

Diagnóstico tardio dificulta tratamento do câncer de mama masculino

O oncologista Ramon de Mello explica como esse tumor se manifesta nos homens

Apesar da baixa incidência entre os homens, o câncer de mama apresenta um alto percentual de mortalidade entre o público masculino. As estimativas nacionais mostram que esse tumor responde por 1% dos casos de câncer entre os homens. “Infelizmente, o diagnóstico ainda é realizado tardiamente, impactando nos resultados do tratamento”, alerta o médico oncologista Ramon Andrade de Mello, professor da disciplina de oncologia clínica da Unifesp, da Uninove e da Escola de Medicina da Universidade do Algarve (Portugal).

 

A atenção aos sinais é importante para um diagnóstico precoce. O câncer de mama masculino apresenta sintomas como surgimento de um caroço próximo ao mamilo, retração do mamilo, dor unilateral na mama e secreção pelo mamilo. O médico oncologista explica que alguns homens podem apresentar aumento da mama ou mesmo caroço, mas o caso mais comum é denominado de ginecomastia: “O importante é consultar um especialista e tirar a dúvida”.

 

O câncer de mama masculino tem maior incidência em homens mais velhos e está ainda relacionado a distúrbios do fígado, além da obesidade. “Os fatores genéticos também podem contribuir para o aumento dos riscos, mas depende de cada caso”, explica o pesquisador da Unifesp. O médico ressalta a importância de o homem também conhecer o seu corpo e fazer o autoexame com frequência. “Qualquer alteração, ele precisa procurar um médico. Vale sempre lembrar que o diagnóstico precoce na oncologia é essencial para alcançar um resultado positivo no tratamento”, afirma Ramon de Mello.

 

Sobre Ramon Andrade de Mello

Oncologista clínico e professor adjunto de Oncologia Clínica da Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Ramon Andrade de Mello tem pós-doutorado em Pesquisa Clínica no Royal Marsden NHS Foundation Trust (Inglaterra) e doutorado (PhD) em Oncologia Molecular pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (Portugal).

 

O médico tem título de especialista em Oncologia Clínica, Ministério da Saúde de Portugal e Sociedade Europeia de Oncologia Médica (ESMO). Além disso, Ramon tem título de Fellow of the American College of Physician (EUA) e é Coordenador Nacional de Oncologia Clínica da Sociedade Brasileira de Cancerologia, membro da Royal Society of Medicine, London, UK, do Comitê Educacional de Tumores Gastrointestinal (ESMO GI Faculty) da Sociedade Europeia de Oncologia Médica (European Society for Medical Oncology – ESMO), Membro do Conselho Consultivo (Advisory Board Member) da Escola Europeia de Oncologia (European School of Oncology – ESO) e ex-membro do Comitê Educacional de Tumores do Gastrointestinal Alto (mandato 2016-2019) da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (American Society of Clinical Oncology – ASCO).

 

Dr. Ramon de Mello é oncologista do Hospital 9 de Julho e da High Clinic Brazil, em São Paulo, SP.

Confira mais informações sobre o tema no site https://ramondemello.com.br/

 

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo