Terça, 20 de Abril de 2021
20 de Abril de 2021
Publicidade

Durante pandemia, estudantes de Goiás são líderes em tempo de estudo, diz FGV

Estratégias desenvolvidas pelo Governo de Goiás, em ano atípico da educação, colocam Estado na vanguarda do atendimento aos estudantes para garantir ensino-aprendizagem em 2020. De acordo com pesquisa da Fundação Getúlio Vargas Social, alunos goianos de 6 a 15 anos tiveram uma média de 2,6 horas de estudo por dia útil, índice acima da média nacional, de 2,37 horas diárias, e segundo melhor resultado do país

Goiás foi a segunda unidade federativa cujos estudantes passaram mais tempo estudando durante a pandemia. Uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas Social (FGV Social) com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Covid e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de agosto de 2020, apontou que os alunos goianos de 6 a 15 anos tiveram uma média de 2,6 horas de estudo por dia útil. A média nacional foi de 2,37 horas diárias e a do Distrito Federal foi de 2,96.

A pesquisa da FGV mostrou como as dificuldades do isolamento social e o ensino não presencial diminuíram o tempo de estudo das crianças e adolescentes. Segundo a Lei de Diretrizes Básicas da Educação (LDB), a carga horária mínima do estudante é de 4 horas diárias. Com a suspensão das aulas presenciais, no entanto, as escolas tiveram que se reinventar para continuar atendendo os alunos e nem todas tiveram êxito nessa tarefa.

Segundo a pesquisa, a falta de atividades escolares entre os estudantes foi mais relacionada à falta de oferta de conteúdo pedagógico, por parte das redes escolares, do que a problemas de interesse por parte dos alunos. Enquanto 13,5% dos estudantes não receberam materiais dos gestores educacionais e professores, apenas 2,88% não utilizaram os materiais que receberam por alguma razão pessoal.

Ainda de acordo com o estudo da FGV, a falta de acesso à internet foi uma das principais barreiras ao ensino remoto no país. Para reverter esse quadro, 11 Estados brasileiros ofertaram aulas pela televisão, dentre os quais se inclui Goiás

Compartilhe este post: