Quarta, 28 de Julho de 2021
28 de Julho de 2021
Publicidade

Editorial do Diário de Aparecida: Cenas chocantes

Reportagem da Record TV Goiás, que o Diário de Aparecida cita em seus principais pontos nesta edição, denuncia a quadruplicação do número de mortes pela Covid-19 em Aparecida – que chegava a duas por dia em dezembro e agora, em março, saltou para mais de 8 por dia.

É um número assustador. A Record TV Goiás foi aos cemitérios do município e comprovou a intenção atividade dos coveiros, com a abertura de valas para acolher sequencialmente os caixões que não param de chegar. A imagem é chocante. As autoridades maiores de Aparecida, dentre elas o prefeito Gustavo Mendanha, recolhido em casa para se tratar da infecção pelo novo coronavírus (que também atacou seu pai, sua mãe, cinco tios, sua esposa e dois dos seus filhos), devem ter assistido as cenas dramáticas mostradas pela rede de televisão que é a segunda em audiência em Goiás.

Tudo isso significa que a gravidade da situação do contágio pela Covid-19 em Aparecida não está sendo amenizada pelo modelo de escalonamento intermitente do comércio, indústria e serviços por regiões que Mendanha adotou, na contramão do resto do Estado e divergindo da vizinha Goiânia, onde o prefeito Rogério Cruz em boa hora acatou o decreto estadual de isolamento 14×14, ou seja, 14 dias de portas fechadas e após 14 dias de reabertura até que a pandemia diminua a velocidade.

O 14×14 tem a vantagem de interromper o ciclo de 2 a 14 dias do vírus, enquanto o escalonamento intermitente, ao contrário, mantém 60% da cidade funcionando diariamente, com aglomerações perigosas como as mostradas na reportagem da Record TV Goiás. Em Aparecida, até as feiras-livres, locais onde é difícil impedir o contato e a proximidade entre as pessoas, funcionam todos os dias, em bairros alternados. 

Alguma coisa precisa ser feita para reduzir o número de preciosas vidas aparecidenses crescentemente ceifadas. Saia do imobilismo, Gustavo Mendanha! Deixe a política de lado e priorize imediatamente a segurança e a proteção do seu povo.

Compartilhe este post: