Segunda, 20 de Setembro de 2021
20 de Setembro de 2021
Publicidade

Editorial do Diário de Aparecida: Más companhias

A vinculação política do prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha, com figuras carimbadas por polêmicas nocivas e envolvimento em casos de corrupção, como o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, e o ex-governador Marconi Perillo, ambos citados em escândalos que macularam as suas biografias irremediavelmente, é uma atitude que precisa ser condenada e repudiada.
Os jornais da Capital informam que o sr. Mendanha é orientado por Mabel e Marconi em suas decisões tanto na Cidade Administrativa quanto na sua busca por visibilidade estadual, além de desenvolver com os dois projetos ambiciosos para o futuro, na linha de contestação ao governador Ronaldo Caiado – cuja imagem de ética e intransigência com o crime é a maior contribuição que dá para Goiás, Estado que se acostumou nos governos passados a protagonizar manchetes que envergonharam a nossa população.
Tais companhias não são recomendáveis para quem faz a gestão de um município que não merece ter os seus interesses distorcidos por vontades de cunho eleitoral, em contraponto com o necessário foco nas demandas e desafios que ainda hoje, infelizmente, compõem o panorama urbano de Aparecida, tais como a deficitária infraestrutura, a falta de vagas nos Cmei’s, o fim dos investimentos de grandes empresas na economia local e a fome, fantasma que voltou a atormentar centenas de famílias aparecidenses.
Em vez de se concentrar em oferecer soluções para esses problemas, cuida o sr. Mendanha de ouvir “conselhos” de Mabel e Marconi para montar uma frente de oposição para 2022, esquecendo-se de que as eleições ainda estão no horizonte longínquo e ignorando que não é hora de antecipar o debate sobre quem vai e quem não vai se candidatar.
Hoje, em Aparecida, morrem mais vítimas da Covid-19 do que nos momentos mais dramáticos da pandemia em 2019. É isso que precisa ser priorizado, não viagens atrás de lideranças de outros cantos do Estado, pior ainda quando direcionadas pela dupla de mentores do atual prefeito.

Compartilhe este post: