Notícias

Educação distribui mudas de hortaliças para alunos

Da Redação

O Projeto Horta Escolar agora é Horta em Casa faz a distribuição de mudas de hortaliças para alunos de instituições de ensino municipais da Capital. A ação é feita pela Secretaria Municipal de Educação juntamente com a entrega do Kit Merenda e, mensalmente, 10 mil mudas são distribuídas pelas instituições contempladas.

O projeto foi retomado em agosto e, para outubro, prevê a distribuição de 30 mil mudas, entre elas, alface, pimenta, acelga, couve, manjericão, jiló, entre outras. As unidades escolares, já cadastradas, estão recebendo a ação, dentre eles o Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Santa Luzia, escolas municipais Jardim Novo Mundo, Itamar Martins Ferreira, Manoel José de Oliveira, Padre Pelágio, Amélia Fernandes e Padre Lima e outros.

Bianca Braga, mãe dos alunos Vinicius Braga, de 6 anos, e Antônio Neto de 4 anos, do Cmei Santa Luzia, achou a ideia muito criativa, pois, segundo ela, “as crianças interagiram bem e amaram colocar a mão na terra e cuidar das cebolinhas e alfaces que receberam do projeto”.

A Coordenadora Pedagógica do Projeto Horta Escolar, Carmem Machado, relata a importância dessa atividade para o aprendizado das crianças. Através da experiência de plantar, cuidar, colher e comer um alimento natural, saudável e orgânico, a criança vivencia e constrói diversos conhecimentos, como desenvolvimento sustentável, cuidados com o meio ambiente, alimentação saudável e tantas outras questões pedagógicas.

“Diante de inúmeros relatos que recebemos, percebemos o quanto essa experiência tem contribuído, especialmente nesse momento em que as crianças não estão indo para as escolas. O cultivar, cuidar das plantinhas todos os dias, proporcionam um momento lúdico e didático e acrescenta muito para o desenvolvimento da criança”, declarou Carmem.

As mudas fazem parte do projeto Horta Escolar, desenvolvido e consolidado nas instituições da rede há muitos anos. O objetivo é que cada família receba três mudas e faça o plantio em casa, com a criança. E as escolas que ainda não participam, podem entrar em contato com a Gerpae e ofertar esta oportunidade para mais alunos da rede.

Mayara Ferreira

Estagiária supervisionada pelo editor Jorge Borges

Arquivos relacionados