Quinta, 06 de Maio de 2021
06 de Maio de 2021
Publicidade

Educação investiu R$19 mi em manutenção predial de unidades

Reparos foram feitos por meio do Programa Escola Viva e beneficiaram mais de 315 unidades de ensino públicas municipais

A Prefeitura de Goiânia, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME), investiu quase R$19 milhões em manutenção predial de escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (Cmei) durante os quatro anos da gestão Iris Rezende (2017-2020). Os reparos foram feitos por meio do Programa Escola Viva, desenvolvido pela SME, e que tem como objetivo a manutenção e conservação do espaço físico das unidades de ensino, com verbas destinadas diretamente a cada gestão escolar.

Em seu primeiro ano de vigência, 2017, o programa atendeu 304 instituições que possuíam Conselho Gestor formado, sendo 138 Cmeis e 166 escolas, num investimento de mais de R$3,8 milhões de reais. Em 2018, os valores e quantidade de unidades beneficiadas se manteve. Em 2019, a gestão proporcionou o primeiro aumento do valor do Escola Viva, de R$3,8 mi passou para R$5,5 mi, com 313 instituições atendidas. O aumento foi reflexo da boa administração do dinheiro público e da construção e inauguração de novas unidades de ensino.

Exemplo dos benefícios que o Escola Viva leva a cada unidade de ensino é o Cmei Nossa Senhora Aparecida, localizado no Setor São Domingos, região Noroeste. A instituição passou por reformas no pátio, nos parquinhos para crianças da primeira infância e pré-escola, construção de rampas de acessibilidade, instalação de alambrados no estacionamento, colocação de cerâmica nas áreas externas, construção de calçada, pintura geral, reforma dos banheiros e a construção de uma central de gás. O Cmei atende 120 alunos, entre um e quatro anos de idade. Para a diretora da unidade, Walquíria Gomes, “houve uma mudança significativa nos espaços do Cmei, podemos dizer que é outro”.

Outra unidade amplamente reformada pelo programa foi a Escola Municipal Jalles Machado de Siqueira, localizada no Jardim Bela Vista, região Sul de Goiânia. Rony William de Souza, diretor da unidade e responsável por gerir o recurso repassado pela SME, conta que refez toda a pintura externa do local, consertou duas tendas utilizadas dentro do pátio, pintou a sala de leitura, trocou o telhado e reformou as portas e janelas do banheiro masculino. A escola atende cerca de 500 alunos e possui desde a Educação Infantil (pré-escola) até o Ciclo III do Ensino Fundamental, além da modalidade de Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (Eaja), funcionando nos períodos matutino, vespertino e noturno.

A previsão para 2020 era de manutenção dos valores destinados ao Escola Viva, no entanto houve outro aumento, tanto de dinheiro quanto de instituições atendidas, de R$5,5 mi para R$5,6 mi, com 316 unidades atendidas. Com a pandemia do novo coronavírus fechando as escolas e Cmeis por no mínimo oito meses, os recursos do programa começaram a ser aplicados neste mês de outubro, já que as instituições estavam fechadas e impossibilitadas de receberem prestadores de serviços.

Em novembro, foi sancionada a  Lei Escola Viva. Trata-se da permanência do Programa para Manutenção dos Prédios Escolares instituído pela Portaria SME nº 172, de 04 de julho de 2017. “Com a sanção da lei, fica assegurada a manutenção permanentes das instituições municipais de ensino. Isso é fruto de uma gestão voltada para a qualidade da Educação Pública, tornando-a referência para o país”, comemora Marcelo Costa, secretário municipal de Educação e Esporte.

Salas Modulares

Sem dúvidas, um dos marcos no planejamento para ampliação do número de vagas na Educação Infantil foi a instalação das salas modulares. Por meio de procedimento licitatório próprio, a SME efetuou a contratação de empresa para o fornecimento e instalação de Ambientes de Rápida Implantação – ARI, visando à redução do deficit de vagas escolares existente, tanto no ensino fundamental quanto na Educação Infantil.  Até o momento, foram mais 170 ambientes de rápida implantação, ampliando mais de 5 mil vagas nas diferentes modalidades.   Fonte: Núbia Alves, da Editoria de Educação e Esporte

Compartilhe este post: