Sexta, 07 de Maio de 2021
07 de Maio de 2021
Publicidade

Empreendedores goianos exploram o mundo dos games em ação de networking

Filiados do LIDE Futuro se reuniram no maior complexo gamer do Centro-Oeste e imergiram em um novo e promissor mercado de investimentos

Um mercado bilionário e pouco explorado comercialmente por empresas, o mundo dos games movimentou mais de U$145 bilhões em todo o mundo em 2019. E ainda tem a previsão de crescimento de 8,1% ao ano.  Para se mensurar, 81 milhões de brasileiros jogam algum jogo eletrônico e 50,5% do público é feminino. As plataformas que mais movimentam o mercado são a mobile e  a smartphone Games, com U$68,2 bilhões cada.

Um segmento dentro deste ramo, os esportes eletrônicos, já superam com folga as estatísticas do futebol – tanto na quantidade de jogadores e de expectadores, modalidade mais popular no Brasil. O relatório Global Esports Market Report 2018 estima um crescimento anual, de público, na casa dos 16%.

Imersão

Os filiados do LIDE Futuro Goiás tiveram a oportunidade de conhecer um pouco mais este mercado que está em ascensão. Na última semana, eles participaram do LIDE Experience na Orbi Gaming, o primeiro complexo gamer do Centro-Oeste, uma empresa da holding, Go Gaming.

“Queremos mostrar como é o mercado e trazer uma nova experiência para os  nossos amigos e parceiros” afirma Djary Veiga, CEO da Go Gaming.  Já o presidente do LIDE Futuro Goiás,  Lucas D’ Alcantara, complementou que  importância desta experimentação  neste momento da temporada das atividades de networking.  ” A cada dia queremos  agregar pessoas com nível igual ou superior aos filiados atuais do LIDE Futuro “.

A Orbi Gaming e Rensga Esports (organização de esportes eletrônicos) somam,  juntas, um investimento inicial de aproximadamente R$ 2,5 milhões. As duas marcas carregam a missão de levar a modalidade para fora do eixo Rio-São Paulo. “Foi um espaço idealizado e projetado para incentivar, desenvolver e descentralizar os esports. Estamos em uma região de grande potencial consumidor e temos o desafio de fomentar o segmento”, explica Djary.

O local é  a casa da Rensga, uma organização de esportes eletrônicos que surgiu no cenário nacional em 2019 após adquirir uma vaga no Circuito Desafiante de League of Legends, a “2ª divisão brasileira”, abaixo do Campeonato Brasileiro de LoL (CBLoL). Mesmo não se classificando, o time – que chamou a atenção pelo jeito irreverente de se comunicar, enaltecendo sua identidade 100% goiana – marcou o início da regionalização dos esports.

Em 2020, estruturou sua base com mais dois times –  Rensga Academy e Rensga GO – reforçou sua comissão técnica e terminou o 2º Split do Circuito Desafiante entre os quatro melhores times com uma campanha surpreendente. Além disso, inaugurou o Centro de Treinamento dentro da Orbi Gaming, um complexo com mais de 800 metros quadrados. Fechou a temporada 2020 entre as 10 organizações qualificadas para o sistema de franquias do CBLoL.

Sobre a Orbi Gaming

O segundo maior complexo de esportes eletrônicos do Brasil e o 1º do Centro-Oeste, foi inaugurado em fevereiro deste ano. Tem 800 metros quadrados e abriga a Arena – com palco, cabine de transmissão e capacidade para até 800 pessoas –; o Centro de Treinamento da Rensga, Snack Bar, Game Center e Academy. É a casa da Rensga Esports e de todos os gamers – jogadores e espectadores – da região central.

Compartilhe este post: