Aparecida

Empresários querem transformar a Eixo Viário Norte-Sul 1 em avenida gourmet

Além de cortar a cidade de norte a sul, a Avenida Jataí conta com pista dupla, ciclovia, ciclofaixa e calçadas gramadas

Com 13,5 quilômetros de extensão, no perímetro urbano de Aparecida, a Avenida Jataí é alvo de empreendedores e empresários do município para transformá-la em uma avenida gourmet. Segundo os empresários, a região leste de Aparecida já se tornou industrial, por ter um aeroporto executivo em andamento e cinco polos industriais.

Na tarde de ontem, 18, donos de bares de Aparecida se reuniram na Associação Comercial e Industrial da Região Leste de Aparecida (Acirlag) para debater a viabilidade do projeto. O diretor da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Antônio Brito, presente na reunião, representando o titular da pasta, Marlúcio Pereira, entende que a ideia precisa ser construída e impulsionada.

Presidente da Acirlag, Maione Padeiro disse ao Diário de Aparecida que um dos motivos da ideia em converter a Avenida Jataí em um espaço de comidas mais refinadas é por ser a via especificamente o Eixo Viário Norte-Sul 1, que faz a ligação entre oito bairros da região leste ao Centro de Aparecida.

Além de cortar a cidade de norte a sul, a Avenida Jataí conta com pista dupla, ciclovia, ciclofaixa, calçadas gramadas, e no comprimento do eixo há pontes, viadutos, bueiros, além de arborização. A Avenida Jataí tem esse nome em homenagem à cidade natal do ex-prefeito de Aparecida Maguito Vilela, que a inaugurou em novembro de 2016, em seu segundo e último mandato como gestor executivo municipal. A Jataí também lidera o ranking das avenidas mais longas de todos os municípios goianos, com potencial para ser o Eixo Gastronômico da Região Leste de Aparecida, segundo pensam os empresários.

“A Avenida Jataí é a antiga W1, ela sai da região industrial dos polos, chegando até a divisa de Goiânia, fazendo o caminho para condomínios como o Alphaville. A avenida já conta com bares, restaurantes, sanduicheria, açaiteria, sorveteria, lojas de macarrão, frango assado, entre outras gamas de opções, conhecidos e aprovados pelo público”, ressaltou Padeiro.

 

Expectativa de apoio do Poder Executivo Municipal de Aparecida

A Acirlag e o Sindicato das Empresas de Turismo do Estado de Goiás (Sindtur) estão ouvindo a demanda dos empresários da região. A proposta é oferecer aos goianienses uma gastronomia já premiada por títulos goianos. O presidente da Acirlag disse que em Aparecida há empresários preparados para investir no mundo gastronômico, o “gourmet”, que em resumo se associa a pratos exclusivos e artísticos, geralmente caracterizando a alta gastronomia.

Maione revelou que o próximo passo é encaminhar propostas a secretarias de Desenvolvimento Econômico, para que, se necessário, a avenida seja revitalizada e inserida no calendário daqueles que fazem turismo de negócios.

“As ações de uma entidade preocupada com o segmento que representa é buscar alternativas nesse momento de insegurança sanitária, econômica, jurídica, política, entre outros cenários. A Acirlag se preocupa com todos os segmentos, e com causas como a conscientização da vacina. Ademais, procuramos ser um elo dos comerciantes junto aos poderes municipal, estadual e federal. Defendendo e ouvindo a opinião dos comerciantes”, pontuou o presidente da Acirlag.

Ele ainda disse que faltam em Aparecida entidades locais que promovam o fomento dos comércios locais. “Estes têm crescido na mesma proporção da carência de apoio de entidades como a Acirlag”, enfatizou Maione Padeiro. (Ana Paula Arantes / jornalismo@diariodeaparecida.com)

Você pode se interessar:

Comments are closed.

Mais em:Aparecida