Terça, 20 de Abril de 2021
20 de Abril de 2021
Publicidade

Pandemia frustra instalação de fábrica de 6 mil empregos em Aparecida

Covid-19 segurou o desenvolvimento de Aparecida e impediu investimento de R$ 60 milhões de uma das maiores fábricas de refrigerantes do país

Prevista para ter sido concluída em outubro de 2020, a implantação da fábrica do Guaraná Mineiro em Aparecida, representado um investimento de R$ 60 milhões, acabou frustrada pela pandemia da Covid-19. 

Mesmo assim, a Refrigerantes do Triângulo, dona da marca, garante que irá manter o projeto de construção da unidade, apesar dos rumores de que uma outra localidade seria escolhida, talvez até mesmo em Goiás.

Mas a empresa não confirma a mudança. Em e-mail enviado ao Diário de Aparecida, os proprietários do Guaraná Mineiro informaram que estão aguardando a conclusão de um processo junto a Prefeitura Municipal de Aparecida de Goiânia em relação à cessão de uma área para sediar a fábrica.

Em meio a festas, em novembro de 2019, o prefeito Gustavo Mendanha assinou um ato de cessão de um terreno de 53 mil metros quadrados para instalação da Refrigerantes do Triângulo em Aparecida. A fábrica teria 20 mil m² de área construída, com um investimento calculado em até R$ 60 milhões. O investimento previsto foi de R$ 52,6 milhões, com possibilidade de gerar 6 mil novos empregos diretos e indiretos.

À época, a empresa também encaminhou à Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC) projeto de viabilidade econômica para obter a concessão de benefícios do Programa Produzir, de incentivo fiscal. O então titular da pasta, Wilder Morais, disse que essa era mais uma empresa das 69 que assinaram protocolos de intenção com o governo de Goiás durante a sua passagem pela SIC.

“Estamos no caminho certo na prospecção de empresas e indústrias e na atração de grandes investimentos. O governador Ronaldo Caiado tem afirmado que o melhor programa social de um governo é o emprego para o trabalhador. E temos buscado melhorar essa pauta do emprego e da geração de renda”, disse Wilder sobre a vinda do Guaraná Mineiro para Aparecida. Mas aí veio a pandemia e tudo foi adiado – e não se sabe até quando.

Por Eduardo Marques

Compartilhe este post: