AparecidaGoiás Online

Estaria Vilmar Mariano inelegível para 2024 se assumir a prefeitura?

Vilmar Mariano (foto) assumiu a Prefeitura de Aparecida de Goiânia por 15 dias em 2020, quando exercia a presidência da Câmara, devido ao afastamento de Gustavo Mendanha e Veter Martins. A pergunta que fica: ao ocupar o cargo de prefeito pela segunda vez, a partir de abril do próximo ano, estaria Vilmar inelegível para uma eventual candidatura à reeleição em 2024?

Vem a Goiás
Jair Bolsonaro (sem partido) estará em Mara Rosa nesta sexta-feira, 17, para o lançamento das obras da Ferrovia Centro-Oeste (Fico), ao lado do governador Ronaldo Caiado (DEM).

Mais vezes
Goiás é o Estado que Jair Bolsonaro mais visitou nestes dois anos e meio de presença no Palácio do Planalto.

Oposição menor
A oposição ao Governo Ronaldo Caiado na Assembleia Legislativa é a menor desde junho de 2019. O cenário também se estende aos municípios, onde a base aliada já ultrapassa 200 prefeituras.

Vaga certa
No meio político, não se tem mais dúvida: o MDB indicará Daniel Vilela para o cargo de vice-governador na chapa de Ronaldo Caiado em 2022.

“100% Mendanha”
Do presidente da Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia, André Fortaleza: “Não existe nenhum tipo de dúvida. O MDB de Aparecida é 100% Gustavo Mendanha.”

“100% Mendanha II”
Lembrete a André Fortaleza: membros do diretório e políticos ligados aos seis vereadores do MDB ocupam cargos nos diversos escalões do Governo Mendanha.

Tem tempo
Governador Ronaldo Caiado (DEM) só deverá bater o martelo sobre a escolha do candidato a senador em sua chapa às vésperas das convenções, em março de 2022.

Lista de peso
Se movimentam como pretendentes à vaga de senador, ao lado de Ronaldo Caiado: Henrique Meirelles (PSD), João Campos (Republicanos), Alexandre Baldy (Progressistas), Wilder Morais (PSC), Luiz do Carmo (MDB) e Zacharias Calil (DEM).

Pouca gente
O PSDB de Marconi Perillo e José Eliton realizou o segundo encontro regional, em Posse, mais uma vez sem “público”. Não devido à proibição de aglomeração, mas por falta de militantes.

Sem força
Os cardeais tucanos não imaginavam chegar em 2022 sem nome competitivo para a disputa ao governo do Estado.

Não decolam
Pesquisas realizadas mostram que Marconi Perillo e José Eliton não têm votos para enfrentar o governador Ronaldo Caiado na corrida à sucessão estadual.

Massa de manobra
A se levar em conta as declarações das principais lideranças dos partidos de oposição, Gustavo Mendanha vai ser “usado”, como candidato a governador, para turbinar a eleição de deputado federal e estadual.

Denes Pereira vê oposição sem rumo
O presidente do PRTB em Goiás, Denes Pereira, diz ver a oposição a Ronaldo Caiado (DEM) com dificuldades para “arrumar” um candidato para encabeçar a chapa majoritária com vistas a 2022. Segundo o dirigente, “não se arruma um candidato para enfrentar um governador bem avaliado como o democrata do dia para a noite”.

 

RESUMO

Tem político já pensando nas eleições de 2026, pleito que vai se realizar daqui a cinco anos, caso, por exemplo, de Vanderlan Cardoso (PSD), que quer disputar o governo de Goiás.

Deputado federal Vitor Hugo deve deixar o PSL para buscar abrigo no partido ao qual o presidente Jair Bolsonaro vier a se filiar. Provavelmente o Progressistas.

O tempo passa, o tempo voa e o PT não consegue lançar um nome competitivo para a disputa ao governo de Goiás em 2022. Deve repetir Kátia Maria.

Presidente da Fundação Ulysses Guimarães, Ênio Salviano (MDB), também defensor da candidatura própria, acusa o presidente do MDB metropolitano, Carlos Júnior, de se manter no cargo indevidamente. Já o presidente diz que seu mandato é legítimo, que venceu uma eleição por 322 a 47 e depois foi reconduzido ao cargo pelo presidente estadual da legenda.

Você pode se interessar:

Comments are closed.

Mais em:Aparecida