Segunda, 20 de Setembro de 2021
20 de Setembro de 2021
Publicidade

Ex-prefeito Paulinho, de Hidrolândia, é conduzido algemado até delegacia

Político reconhece que portava arma sem documento, o que motivou sua detenção temporária por um comando da PM

O ex-prefeito de Hidrolândia e ex-presidente da Associação Goiana dos Municípios Paulo Sérgio de Rezende, conhecido como Paulinho, foi parado por uma blitz da Polícia Militar e, na sequência, conduzido algemado à delegacia de polícia da cidade, em razão de portar arma, naquele momento, sem documentação legal.

Paulinho informou em um vídeo distribuído pelo WhatsApp que foi abordado pela Polícia Militar quando voltava da fazenda de um irmão e que foi conduzido à delegacia de Hidrolândia porque estava sem o documento da pistola calibre 380 que estava sob o banco do veículo Gol que conduzia.

Na delegacia, segundo conta, ele foi liberado assim que providenciou o documento da arma. Paulinho justificou que foi armado até a fazenda do irmão pelo perigo de transitar na região naquele horário. “Meu irmão já levou três tiros”, explicou.

O ex-prefeito não ficou preso realmente, mas segundo a ocorrência número 20690398, da Polícia Militar, Paulo Sérgio foi abordado pelas equipes das viaturas 10556, 10551 e 11993 em um bloqueio estático do Batalhão Rural da PM no quilômetro 18 da estrada vicinal que liga Oloana a Hidrolândia.

Os policiais perguntaram se ele portava arma ou droga no veículo e ele disse que não, mas durante a revista veicular uma pistola Taurus calibre 380 com 15 munições não deflagradas foi encontrada sob o banco do motorista. A arma é registrada, mas ele não estava com porte da arma, e recebeu voz de prisão.

Foi conduzido, segundo a ocorrência, algemado até a delegacia, onde constatou-se que o registro da arma está vencido desde 2019. Ele foi autuado com base no artigo 14 do Estatuto do Desarmamento.

O ex-prefeito, em seu vídeo, negou que tenha sido algemado e tentou dar para a ocorrência em que se viu envolvido um aspecto de normalidade. “A polícia estava trabalhando. Eu prefiro passar por um constrangimento do que burlar a ação dos PMs”, jurou. Paulinho é candidato a deputado estadual e é filiado ao PSDB.

 

Compartilhe este post: