Quinta, 06 de Maio de 2021
06 de Maio de 2021
Publicidade

Farmacêuticos do HMAP fazem treinamento de nutrição parenteral

Esse tipo de ingestão de nutrientes pode substituir completamente ou apenas complementar a alimentação enteral que é realizada através do sistema gastrointestinal ou por meio de sonda

Um paciente com baixa nutrição possui maiores dificuldades para enfrentar qualquer tipo de tratamento curativo, por isso zelar pelo seu estado nutricional pode evitar infecções e aumentar o poder de cicatrização do seu organismo. Pensando nisso, o Hospital Municipal de Aparecida de Goiânia (HMAp) proporcionou na tarde dessa segunda-feira, 15, o treinamento de nutrição parenteral para os farmacêuticos da unidade.

A nutrição parenteral é realizada utilizando a via intravenosa quando o alimento não pode passar pelo aparelho digestivo. Ou seja, trata-se de uma Nutrição Parenteral qualquer forma de ingestão pela veia de água, glicose, eletrólitos, vitaminas, proteínas, sais minerais, entre outros. Esse tipo de ingestão de nutrientes pode substituir completamente ou apenas complementar a alimentação enteral que é realizada através do sistema gastrointestinal ou por meio de sonda.

A avaliação da nutrição nos hospitais é realizada pela equipe de nutricionistas. A forma enteral é de domínio das nutricionistas e a parenteral fica sob guarda da farmácia, é onde o farmacêutico pode intervencionar. “Por meio dessas duas formas de nutrição podemos garantir ao paciente uma recuperação mais rápida, diminuindo, assim, seu tempo de internação no hospital”, revela a coordenadora farmacêutica do HMAP, Erika Nogueira.

De acordo com Gustavo Sousa representante da Via Nut, que ministrou o treinamento, o intuito do curso é fazer a diferenciação das dietas, explicar os benefícios da dieta e vantagens de uma dieta com concentração adequada e balanceada de lipídios. “Nós mostramos como o farmacêutico pode fazer uma dispensação racionalizada e responsiva e que seja em comunicação com as outras áreas para da equipe multidisciplinar”, explica.

Para Erika o treinamento foi de extrema importância, pois a nutrição parenteral é considerada recente no uso hospitalar, e ainda há hospitais que não a utilizam por desconhecimento “Essa dieta pode intervir na evolução do paciente. O estudo desse tipo de terapia e capacitação para o profissional da área da farmácia, que é integrante da equipe multiprofissional, vem para somar conhecimento e promover além da segurança do paciente, melhores desfechos clínicos”, finaliza a coordenadora farmacêutica.

Compartilhe este post: