Terça, 21 de Setembro de 2021
21 de Setembro de 2021
Publicidade

Furto de energia cresce em Goiás e crime deixa conta mais cara para consumidores regulares

Aparecida de Goiânia está entre os dez municípios goianos com mais ocorrências da natureza

Os casos de furto de energia elétrica voltaram a crescer em Goiás desde 2020. Segundo balanço da Enel Distribuição Goiás, o ato ilegal desvia anualmente volume equivalente a 131 Gigawatt-hora (GWh), o suficiente para abastecer por um ano uma cidade do porte de Morrinhos. As ligações irregulares ainda sobrecarregam a rede, o que impacta na qualidade do fornecimento no Estado e entra nos cálculos da tarifa paga por todos. Somente no primeiro semestre deste ano, a companhia inspecionou mais de 131 mil unidades consumidoras, entre residências, comércios e indústrias, com suspeitas de fraudes em Goiás. Dessas, cerca de 31 mil apresentaram alguma irregularidade e foram regularizadas após inspeção da companhia.
Nesses casos, os municípios do Entorno – Valparaíso, Luziânia, Águas Lindas, Novo Gama e Cidade Ocidental – são responsáveis por 24% das ocorrências de todo o Estado. Também estão entre os dez primeiros colocados as cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia e Rio Verde. Quando analisado o quadro de regularizações em relação ao percentual de clientes de cada município, as cidades de Minaçu (3,5% dos clientes) e Nova Crixás (3,3% dos clientes) são as campeãs em furto de energia no Estado.
A diretora de Operações Comerciais da Enel Distribuição Goiás, Alessandra Kozlowski, explica que além de ser crime, com pena prevista de um a oito anos de reclusão, o furto de energia, popularmente conhecido como “gato”, prejudica diretamente a qualidade do fornecimento de energia e põe em risco a população, principalmente as pessoas que manipulam a rede elétrica sem a capacitação adequada e os devidos cuidados. “As ligações irregulares sobrecarregam a rede elétrica e podem causar curtos-circuitos, ocasionando interrupções no fornecimento de energia inclusive para os clientes regulares da companhia, que pagam as contas em dia”, afirma.
Este ano, a Enel, em parceria com a Polícia Civil de Goiás (PCGO), realizou 33 ações de combate ao furto de energia em Goiás e 11 pessoas foram presas. Esse número é quase três vezes superior ao que foi registrado em todo o ano passado, quando foram realizadas 13 ações e cerca de 20 pessoas foram presas. “O nosso objetivo com esse trabalho de combate às perdas é garantir aos nossos clientes uma tarifa adequada e justa e contribuir para a evolução da qualidade do fornecimento da energia distribuída”, afirma a diretora.
Alessandra acrescenta que, além das inspeções e ações contra o furto de energia, a empresa está investindo em novos sistemas e tecnologias para aumentar a eficiência de seus processos de combate às perdas de energia. “Em todo o Estado, a companhia já instalou 1.950 equipamentos de medição blindada. Esse tipo de tecnologia permite realizar o acompanhamento do consumo de energia, pois os aparelhos são instalados diretamente no poste de energia, assegurando a proteção da medição de ações externas e assim garantindo registro correto da energia utilizada pelo cliente. Desta forma, não é possível realizar quaisquer tipos de fraudes na medição do consumo, uma vez que a energia consumida é medida ainda no poste da distribuidora”, destaca.
A Enel Distribuição Goiás também realiza inspeções periódicas nos medidores de energia dos clientes com o objetivo de assegurar a qualidade da medição. Em caso de suspeita de falha ou alteração no medidor de energia, o equipamento é retirado para avaliação no Laboratório de Calibração da companhia, que é certificado pelo Inmetro, tem acreditação ISO 17025 e é frequentemente auditado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Nesses casos, o cliente pode acompanhar tanto a retirada do aparelho quanto sua análise laboratorial.
Além de prejudicar a qualidade do fornecimento de energia de todos os clientes, os “gatos” impactam, também, o valor da tarifa, já que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) leva em conta as perdas de energia para calcular o valor da tarifa de cada distribuidora do País. Desta forma, os custos que compõem a tarifa de energia da distribuidora são divididos entre os consumidores e todos os clientes acabam sendo afetados pelos furtos de energia, inclusive aqueles que estão com os seus sistemas de medição em conformidade e pagam suas contas em dia. Os clientes da Enel Distribuição Goiás podem denunciar o furto de energia pelo site da companhia (http://www.enel.com.br), pelo aplicativo Enel Goiás, disponível para Android e iOS, ou pela Central de Atendimento (0800 062 01 96). Não é necessário se identificar. (Por Eduardo Marques / jornalismo@diariodeaparecida.com)

Compartilhe este post: