Quarta, 03 de Março de 2021
03 de Março de 2021

Goiás e mais quatro estados serão os únicos a sair da crise em 2021

Levantamento publicado pelo jornal “Estado de S. Paulo” confirma Goiás, Pará, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rio como únicos a superarem dificuldades originadas na pandemia

Da Redação

Apenas cinco Estados terão forças para sair da crise em 2021, de acordo com reportagem do “Estadão”. Mato Grosso do Sul, Pará, Mato Grosso, Goiás e Rio de Janeiro apresentarão um Produto Interno Bruto (PIB) maior do que o que obteram em 2019 – ou seja, enquanto a esmagadora maioria dos estados brasileiros perderam na pandemia, estes estados apresentaram crescimento econômico.

A informação confirma a expectativa do governador Ronaldo Caiado, que tem apresentado uma série de índices positivos da economia goiana, como o aumento da geração de empregos e maior interesse de grandes indústrias em investirem em Goiás.

A reportagem do Estado de S. Paulo foi realizada pela consultoria Tendências Integradas, que analisa os parâmetros da macroeconomia das unidades da federação.
Goiás é um dos líderes da economia por conta dos commodities e da gigantesca produção agrícola.

“A atividade econômica do ano que vem dependerá de uma série de condicionantes, como a própria evolução da pandemia e o reflexo de questões políticas na agenda econômica, com destaque para a questão fiscal”, diz o economista da Tendências Lucas Assis, que antevê um cenário positivo para os estados do Centro-Oeste, fora o Distrito Federal, que tem sua economia baseada em serviços públicos.

“Com a localização privilegiada, próxima de São Paulo, a indústria de celulose do Estado deve ser favorecida pela expectativa de ampliação da demanda asiática por papel tissue, pela tendência estrutural de substituição do plástico por produtos de papel e pelo câmbio brasileiro desvalorizado”, diz Assis, a respeito do Mato Grosso do Sul.

Resiliente

O técnico sublinha que Goiás tem sido resiliente e poderá demonstrar maior capacidade de crescimento em 2021, já que tem realizado reformas estruturantes e praticado assepsia na corrupção que tomava os órgãos públicos.

Compartilhe este post: