Notícias

Goiás monitora desenvolvimento de vacinas contra Covid-19

O Governo de Goiás acompanha o desenvolvimento de quatro vacinas contra a Covid-19. A informação é do secretário de Estado da Saúde, Ismael Alexandrino, na última sexta-feira (25), após atualizar junto ao presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, a situação das pesquisas de cada uma delas. No Brasil, a distribuição das vacinas é realizada pelo Ministério da Saúde (MS). O Estado de Goiás já está alinhado com o Governo Federal para receber a primeira vacina que ficar pronta e for aprovada.

“Nós temos a vacina de Oxford, desenvolvida em parceria com a Fiocruz; a da Sinovac, com o Instituto Butantã, de São Paulo; a da Johnson & Johnson, desenvolvida com o laboratório Janssen; e a da Pfizer, que é uma indústria americana”, pontuou o secretário. De acordo com ele, qualquer uma dessas vacinas que apresentar resultados seguros será utilizada pelo Estado de Goiás, juntamente com o MS, para imunizar os goianos.

Ele lembrou que ainda existe a expectativa da vacina russa, mas que essa ainda não tem nenhuma documentação homologada na Anvisa para seu desenvolvimento no país. “Como a vacinação é uma política nacional, e não dos estados, é importante calibrarmos as expectativas para não cairmos na torcida por uma vacina em detrimento da outra”, alertou.

“A priori, utilizaremos a vacina de Oxford. Estamos alinhados com o Ministério da Saúde e o presidente Jair Bolsonaro já assinou a medida provisória para aquisição de 100 milhões de doses, além da transferência de tecnologia com um investimento de R$ 2 bilhões”, disse o secretário sobre as perspectivas futuras.

Para serem utilizadas, as vacinas precisam respeitar todas as fases da pesquisa e apresentar bons resultados, além de serem homologadas pela Anvisa. “Cumprindo essas fases, elas estarão aptas a serem utilizadas pela população e nós utilizaremos sem qualquer prejuízo para a população do Estado de Goiás”, concluiu Ismael.

Sem disputa
O governador Ronaldo Caiado afirmou que acompanha diariamente as novidades e que, assim como toda a população, está ansioso pela vacina. Segundo Caiado, não existe disputa entre os Estados para conseguir acordos com os países que desenvolvem o imunizante.

“Não é cada Estado disputando quem vai dar conta de fabricar primeiro. A vacina é fabricada por órgãos do governo federal que têm convênios com instituições internacionais e que foram bancadas pelo dinheiro da população brasileira. Então, não tem nenhum Estado que está na frente do outro. Todos nós pagamos por essa vacina”, pontuou.

De acordo com o governador, a partir do momento que a vacina estiver aprovada, ela será distribuída a todos aos Estados, mas com critérios de prioridades. “Ela virá primeiro atender o grupo de risco e depois, toda a população, a exemplo da estratégia que é adotada com a vacina da gripe”, esclareceu.

 

Mayara Ferreira

Estagiária supervisionada pelo editor Jorge Borges

Arquivos relacionados