Notícias

Governo de Goiás e Enel levam energia elétrica para comunidade Kalunga

Famílias do Vão do Moleque receberam instalação de kits de rede com lâmpadas e tomadas e, até o final do ano, serão 1,4 mil novas ligações elétricas na região

Da Redação

A energia elétrica chegou a 70 famílias da comunidade Kalunga do povoado do Vão do Moleque, em Cavalcante, região norte de Goiás, em uma ação de parceria do Governo de Goiás, por meio do Gabinete de Políticas Sociais, e a Enel Distribuição Goiás. Antiga demanda dos moradores da região, a chegada da energia elétrica representa um novo momento na vida de centenas de goianos que vivem na comunidade.

Além da rede de energia, as famílias já contempladas tiveram a instalação de kits de rede, compostos por duas lâmpadas e duas tomadas. Nos próximos três meses, mais 70 serão instalados, totalizando 140 novas unidades consumidoras para os Kalunga, comunidade historicamente negligenciada pelo Estado.

As obras fazem parte do programa “Luz para Todos”, do governo federal. Foram construídos mais de 360 quilômetros de rede de distribuição e foram instalados 3,5 mil postes, com investimento estimado em R$ 22 milhões.

Para o governador Ronaldo Caiado, a chegada da luz elétrica na região é um sonho realizado, não apenas para as famílias Kalunga, como também para todos que se empenharam para que essa conquista fosse concretizada, ressaltando o esforço do Governo de Goiás para diminuir as desigualdades regionais.

“Essa alegria de poder desfrutar de melhor qualidade de vida, isso é extremamente gratificante. Acho que é algo que tem tudo a ver com nosso compromisso de vida e de governo. Não adianta estarmos apenas desenvolvendo regiões desenvolvidas sem que a gente tenha um olhar também para as regiões mais humildes do Estado de Goiás e podermos, cada vez mais, combater as desigualdades regionais e a falta de oportunidade das pessoas”, ressaltou.

Por causa da pandemia do novo coronavírus, o governador e a primeira-dama Gracinha Caiado, coordenadora do Gabinete de Políticas Sociais e presidente de honra da Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), não puderam ir até o Vão do Moleque presenciar a ligação da rede elétrica. Porém, assistiram a uma reportagem produzida pela equipe da TV Brasil Central (TBC) sobre a chegada da energia elétrica para as famílias Kalunga.

Emocionado, o governador ressaltou que essa conquista é importante não apenas para os cidadãos daquela comunidade, mas para todos os goianos. “Vejo isso como algo que deve impactar muito a consciência de todos os goianos neste momento. É hora de solidariedade. É hora de não pensar apenas em si, mas ter também uma visão de como dar a esses jovens, a essas crianças, a essas famílias, uma outra perspectiva”, completou.

A luz elétrica, há muito aguardada pelos moradores da região, foi motivo de frustração por muitos anos, como relata seu Juarez da Cunha, de 60 anos, que vive com a esposa Aparecida Fernandes da Cunha, de 55, e os três filhos. “Há uns 20 anos, colocaram os ‘padrão’. Nós tínhamos ansiedade pela energia”, relata Juarez. “Ficou tudo na mentira. Não aconteceu”, recorda-se, frustrado. “Ano passado, o governador Ronaldo Caiado chegou aqui, montado a cavalo. Falamos sobre os postes e ele disse que a gente ia ter energia elétrica este ano. Está aí a prova que ele não mentiu para gente”, contou.

Esforço
Segundo o diretor-presidente da Enel Distribuição Goiás, José Luis Salas, a expectativa é de que, até dezembro, a energia elétrica chegue a outros povoados da região, como a área conhecida como Festejo, onde são realizadas reuniões e celebrações da comunidade Kalunga. “Trata-se de uma área de mata, montanha e encostas íngremes, o que dificulta muito o acesso das nossas equipes. Mas entendendo a importância do povo Kalunga e a partir de uma demanda do Governo do Estado, que tem uma preocupação muito grande com essa comunidade, nós fizemos um esforço concentrado na região para acelerar as obras”, explica. Até o final de 2020, serão 1,4 mil novas ligações elétricas em regiões de comunidades Kalunga e um investimento estimado em R$ 66 milhões.

Após assistir ao vídeo, a primeira-dama Gracinha Caiado relembrou que desde o primeiro momento, a pedido do governador Ronaldo Caiado, Gabinete de Políticas Sociais teve ações voltadas para a comunidade Kalunga. “O primeiro lugar que fomos com o projeto ‘Pé No Chão’ foi Cavalcante, que estava como município mais carente de Goiás, segundo o levantamento do Índice Multidimensional de Carência das Famílias Goianas (IMCF). E quando chegamos lá, aquelas pessoas não tinham nada. Não tinham água, não tinham luz. Nem vou falar em internet. E porque não tinham água, também não tinham banheiro. Então, viviam num total esquecimento dos governos. E todo mundo dizia que isso ia ser difícil, que não ia chegar. E hoje é realidade. A água, a energia elétrica e a internet”, lembrou.

O acesso ao abastecimento de água é outra necessidade básica que por muitos anos foi negligenciada na região. Em maio do ano passado, o Governo de Goiás, por meio da Saneago, fez a interligação do Reservatório do Setor Morro Encantado, em Cavalcante ao Sistema de Abastecimento de Água. Esse reservatório tinha ficado parado por cerca de seis anos até que foram construídos mais de 200 metros de rede para interligá-lo, possibilitando assim, a distribuição de água para o Setor Morro Encantado.

A primeira-dama Gracinha Caiado, que esteve por três vezes na comunidade Kalunga em 2019, se emocionou com histórias como a de Evandro Fernandes. Com uma maquita na mão, o jovem pedreiro pode agora construir um novo futuro como marceneiro. “Estamos muito felizes, pois nunca acreditamos que fosse chegar a energia. Mas o dr. Ronaldo Caiado correu atrás e agora é uma realidade. Antes eu tinha que trabalhar com serrote, mas agora posso usar os equipamentos elétricos. Muda muito a vida”, agradeceu.

Ainda no ano passado, o Governo de Goiás, juntamente com a Enel, levou kits de energia fotovoltaica para 130 famílias quilombolas que vivem em locais de difícil acesso para a rede de energia elétrica convencional. A expectativa é de que outras 70 famílias também receberão os kits com painéis solares até o final deste ano.

Ações do Governo de Goiás

A comunidade quilombola Kalunga em Goiás é o maior território quilombola do Brasil e se estende entre os municípios de Cavalcante, Monte Alegre e Teresina de Goiás, na região do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

Segundo dados do Índice Multidimensional de Carência das Famílias Goianas (IMCF), calculado pelo Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (IMB), Cavalcante está entre as 13 cidades com pior desempenho considerando dados sobre moradia, educação e renda.

Por isso, desde o início do governo, o governador Ronaldo Caiado tem voltado ações para o município com o objetivo de ajudar os cidadãos mais vulneráveis e, principalmente, criar caminhos para o desenvolvimento social e combate à pobreza de forma sustentável.

Desde a confirmação do primeiro caso de Covid-19 em Goiás, em março deste ano, o Governo de Goiás, por meio da Campanha de Combate à Propagação do Coronavírus, já enviou mais de três mil cestas para cidadãos da cidade de Cavalcante em situação de vulnerabilidade, sendo 2,4 mil destinadas para comunidades quilombolas do município. O Governo de Goiás também destinou cobertores da Campanha do Agasalho, por meio da OVG, e fez a inclusão de alunos da rede estadual de ensino nos programas de segurança alimentar da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) neste momento de pandemia. Em Cavalcante, são 195 alunos que recebem o auxílio alimentação de R$ 75 a cada 15 dias e outras 95 famílias que já receberam os kits alimentação.

Em janeiro de 2020, a Secretaria de Meio Ambiente é de Desenvolvimento Sustentável (Semad) liberou uma licença ambiental para instalação da rede elétrica rural que vai beneficiar moradores das comunidades quilombolas Povoado São Domingos, Fazenda Forquilha, Assentamento Órfãos e Vão do Moleque.

A primeira edição do Projeto “Pé no Chão”, de visitas do Gabinete de Políticas Sociais para avaliação das carências dos municípios, ainda em março do ano passado, foi nas comunidades Kalunga de Cavalcante. Em setembro de 2019, o projeto voltou com estruturas das Secretarias de Cultura e Meio Ambiente; Saneago; OVG e Polícia Militar Ambiental com o desenvolvimento de uma série de ações de educação ambiental e preservação dos recursos naturais da região durante a Romaria de Nossa Senhora do Livramento e São Gonçalo, no Vão do Moleque. Na oportunidade, foram levados banheiros químicos, água mineral e mais de uma tonelada de alimentos. Ronaldo Caiado foi o primeiro e único governador a participar desse festejo tão importante para a cultura Kalunga.

Cavalcante também é uma das cidades que receberam o projeto Alfabetização em Família, parceria entre o Gabinete de Políticas Sociais e a Seduc, para alfabetização de jovens, adultos e idosos. A ação tem o objetivo de promover mudanças sociais e econômicas por meio da elevação da escolaridade. Apenas em Cavalcante, o Alfabetização em Família tem quatro turmas, com um total de 75 alunos participantes. Em fevereiro deste ano, o projeto foi ampliado e agora conta com parceria com a Fundação Roberto Marinho, o que possibilitou a abertura de cinco novas turmas na cidade, com um total de 54 alunos.

Também na área da Educação, o Governo de Goiás inaugurou duas novas salas de aula, e levou 600 livros didáticos de todos os componentes curriculares, além de computadores e tablets para comunidades Kalunga. O projeto “Goiás Tec”, de mediação tecnológica voltado para o Ensino Médio atende quatro turmas com um total de 60 alunos de comunidade Kalunga.

Em novembro do ano passado, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) realizou a entrega de 47 permissões de cultivo mecanizado para as lavouras de comunidades Kalunga, atendendo a uma antiga demanda da região e garantindo segurança jurídica para os agricultores locais, que antes eram obrigados a utilizar a técnica tradicional de roças de toco, ou roças de coivara, predominantemente manual, e com uso do fogo.

Pela primeira vez na história, as comunidades Kalunga receberam brinquedos e a visita do Papai Noel, durante o “Natal do Bem” da OVG. Apesar de todas as dificuldades geográficas, o Governo de Goiás fez questão de levar um pouco de carinho e a magia do Natal para as crianças da região.

Mayara Ferreira

Estagiário supervisionado pelo editor Jorge Borges

Arquivos relacionados