Goiás

Governo de Goiás pagará bônus por resultado, de mais de R$ 161 milhões, para todos os 39 mil servidores da educação

Benefício será destinado aos professores ainda no mês de dezembro de 2021, com recursos da ordem de R$ 131,7 milhões. Colaboradores administrativos vão receber em janeiro de 2022, com custo de R$ 29,3 milhões. Medida será apreciada pela Assembleia Legislativa. “Educadores são a base e vão formar o amanhã, para que possamos almejar coisas melhores”, afirma governador Ronaldo Caiado

O Governo de Goiás vai destinar um bônus por resultado para todos os 39 mil servidores da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). O benefício será pago aos professores ainda no mês de dezembro de 2021, quando eles receberão mais de R$ 131,7 milhões. Já os servidores administrativos vão receber mais de R$ 29,3 milhões, em janeiro de 2022, totalizando R$ 161 milhões.

O benefício leva em conta, para além do trabalho já desenvolvido, metas pactuadas pelas unidades escolares com a Seduc, em quesitos importantes para o acesso, permanência e sucesso dos alunos da rede estadual. Esse bônus tem natureza remuneratória, caráter excepcional e se alicerçará nos resultados produzidos pelos servidores, docentes e administrativos da pasta por meio de metas

O percentual do bônus será de até 98% da remuneração do servidor, considerando-se critérios a serem definidos. Neste momento, o processo tramita nas secretarias de Estado da Educação, da Economia, e da Administração e será encaminhado para a Casa Civil.

Após os trâmites legais, um projeto de lei será encaminhado à Assembleia Legislativa de Goiás. A partir daí, o bônus será instituído e pago aos servidores. “Os educadores vão formar o amanhã, para que possamos almejar coisas melhores, eles são a base”, afirma o governador Ronaldo Caiado. “Aos professores e servidores o meu reconhecimento pelo trabalho que realizam em prol da educação em Goiás”, destaca.

Outros benefícios
O reajuste salarial para professores e servidores administrativos também foi anunciado pelo governador Ronaldo Caiado. O reajuste será de 4,52% para professores P1, P2, do quadro transitório e com contratos temporários, e de 7,20% para professores P3, P4 e servidores administrativos, efetivos ou com contratos.

As medidas fazem parte da política de valorização profissional que vem sendo executada desde 2019 e que inclui também o pagamento de ajuda de custo e, mais recentemente, a criação do Auxílio-Aprimoramento Continuado.

Dívidas antigas
Além dos reajustes, bônus e ajuda de custo, o Governo de Goiás quitou, desde 2019 até hoje, as diferenças salarias de servidores da educação que tramitavam em processos administrativos na Seduc. Os pagamentos já somam R$ 56,1 milhões, o que saldou dividas com 29.646 processos requeridos por trabalhadores da pasta. “Nosso governador demonstra que é diferente e que continuará a fazer a diferença”, afirma a secretária de Estado da Educação, Fátima Gavioli.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo