Notícias

Hackthon Goiás Digital apresenta os ganhadores da maratona de desafios

Com uso de dados abertos do Governo e parceiros, mentorias e muita adrenalina, 37 selecionados chegaram à final do desafio na Campus Party Goiás

Da Redação

Após 72 horas de atividades, 24 horas de imersão para desenvolvimento de proposta de solução para um problema real da sociedade e do setor produtivo, os participantes do Hackathon Goiás Digital 2020 chegaram ao fim do desafio. Depois da apresentação das propostas desenvolvidas pelas equipes selecionadas para a final, e análise da equipe avaliadora, as três primeiros colocados foram anunciados em live no palco virtual do Hackthon Goiás Digital, na tarde do última sábado (11) pelo secretário de Desenvolvimento Inovação do Estado de Goiás, Marcio Cesar Pereira, e pela comissão avaliadora dos projetos.

O titular da Sedi destacou que a premiação foi um diferencial deste Hackathon. “No ano passado tivemos uma premiação boa no quesito financeiro, mas da desta edição, que temos o oferecimento de tantas bolsas de estudo e ainda a oportunidade do ganhador poder fazer parte do CEIA, junto com a Fapeg, poder trabalhar nesse time, é um prêmio ouro”, considera.

De 162 inscritos, 37 foram selecionados para a segunda etapa que formaram oito equipes. Uma equipe não conseguiu entregar a solução no prazo, assim sete equipes apresentaram suas soluções aos avaliadores que puderam também fazer perguntas ao final de cada pitch. Durante as 24 horas do desafio, os participantes contaram com o apoio de 52 mentores, grupo formado por profissionais de diversas áreas e experiências, como design gráfico, programadores e desenvolvedores de aplicações, analistas de dados, gestores de projetos e negócios, entre outros.

Os pitchs apresentados foram considerados interessantes pelo presidente da Fapeg, Robson Vieira, que acredita no potencial realizador dos participantes. “Esperamos que os ganhadores possam aproveitar essas bolsas de estudo, que vão permitir a expansão das ideias que eles apresentaram aqui hoje”, conclui.

A comissão avaliadora foi formada por Robson, pela engenheira de Computação e coordenadora do Escritório de Projetos na Subsecretaria de Tecnologia da Informação da SEDI, Adriana Brito; o professor da UFG e Coordenador do Centro de Excelência em Inteligência Artificial (CEIA), Anderson da Silva Soares; da gerente Executiva do Sebrae Goiás, Camilla Costa; gerente de Promoção Social do Senar Goiás, Renildo Marques Teixeira; e a gerente de Desenvolvimento Empresarial do IEL, Sandra Marcia Silva. Os critérios usados por eles para a análise e classificação das propostas foram: criatividade, proposta de valor, inovação, possibilidade de implementação e uso dos recursos tecnológicos disponibilizados.

Soluções vencedoras

O primeiro lugar ficou com a equipe SmartMuu, que escolheu o desafio Bovinocultura de Corte com foco no sistema de rastreamento. A solução encontrada pelo grupo foi o desenvolvimento de um sensor inteligente de monitoramento, que capta informações de geolocalização, de predição de doenças e de bem-estar animal, que forma um dashboard personalizado, estes dados podem ser integrados a plataforma de gerenciamento através de API da Serpro. Algumas aplicações: rastreamento em tempo real de qualquer lugar, localização de animal perdido ou roubado, além de compartilhamento de informações sobre o gado (vacina, bem estar, entre outras) com frigoríficos ou consumidor final.

Equilíbrio entre economia e isolamento social foi o tema escolhido pela equipe LedThinking, que ficou com o segundo lugar. O produto desenvolvido foi a Fionect, uma plataforma de facilitação de conteúdos para micro e pequenas empresas. Utilizando a estratégia de gamificação, conectar o empreendedor com conteúdo interativo dividido em níveis, a plataforma acumula as informações do usuário, oferecendo a ele histórico dos cursos realizados, com a possibilidade de acumular pontos e trocá-los por desconto em outros cursos ou em impostos municipais (acordo a ser firmado).

Agricultura Familiar foi o desafio aceito pela equipe Yggdrasil’serve, que desenvolveu o iHort – a sua feira bem feita, plataforma digital que é um market place que conecta os produtores aos consumidores, oferece consultorias on-line com especialistas na área de gestão, produção e comercialização, traz ainda um diferencial, que é a possibilidade do usuário poder apadrinhar outro produtor levando-o para a plataforma (Produtor solidário), além disso os dados coletados destes produtores poderão (com autorização) ser compartilhados com o governo a fim de auxiliar nas tomadas de decisões e no planejamento estratégico para o setor.

Premiação

O primeiro lugar leva um Bootcamp do Sebrae, mais duas bolsas de pós-graduação (prêmio oferecido pelo IEL), mais duas bolsas oferecidas pela Fapeg por meio do Centro de Excelência em Inteligência Artificial (Ceia), e ainda um ingresso com barraca para a Campus Party Goiás 2021, oferecido pelo Instituto Campus Party.

Já o segundo lugar recebe um Bootcamp Sebrae, mais uma bolsa de pós-graduação (IEL) e duas bolsas oferecidas pela Fapeg/CEIA. A terceira equipe recebe um Bootcamp Sebrae.

Equipes ganhadoras e temas:
1º lugar: SmartMuu – Bovinocultura de Corte – SmartMuu – monitorando seu gado

2º lugar: LedThinking – Equilíbrio entre economia e isolamento social – Fionect – conectando o microempreendedor ao conhecimento

3º lugar: Yggdrasil’serve – Agricultura Familiar – iHort – a sua feira bem feita.

Gustavo Martins

Estagiário supervisionado pelo editor Jorge Borges

Arquivos relacionados