Sábado, 24 de Julho de 2021
24 de Julho de 2021
Publicidade

Homem é detido por repassar dinheiro falso em Hidrolândia e Aparecida de Goiânia

De acordo com os policiais militares, o proprietário da "Carreta da Alegria" tentou comprar uma potência de som para o veículo e usou a oportunidade para repassar as notas falsas

Edna Barbosa 

Após denúncia de um comerciante de Aparecida de Goiânia, a Polícia Militar conseguiu localizar no dia 31 de março, na cidade de Hidrolândia, o proprietário da “Carreta da Alegria” Boomerang. De acordo com o comerciante, o dono da carreta teria tentado comprar no seu estabelecimento uma potência de som e, ao realizar o pagamento, teria usado notas falsas, de R$ 10 e R$ 20. Ao perceber isso, o comerciante chamou a polícia. 

Ao Diário de Aparecida, o tenente Diego Moura, comandante do 8° Batalhão de Aparecida, disse que as equipes, de posse das características do acusado e do veículo em que ele estava, realizaram um intenso patrulhamento e conseguiram chegar ao acusado. 

“Conseguimos fazer a abordagem do proprietário da carreta a 300 metros da barreira da Polícia Rodoviária Federal (PRF), próximo à cidade de Hidrolândia. Foram encontrados com ele mais de R$ 1.180 em notas de R$ 10 e R$ 20, todas notas falsas. Ao verificarmos a carreta e o ônibus, também de sua propriedade, encontramos mais uma grande quantia em dinheiro falso”, detalhou o tenente. 

A polícia identificou que o dono da carreta já havia passado pelos Estados de São Paulo e Minas Gerais. “Esse indivíduo já tem passagem por tráfico de drogas. Trouxe o dinheiro falso de Uberlândia, e estava há três meses repassando esse dinheiro falso em Hidrolândia e Aparecida de Goiânia”, confirmou o comandante Moura. 

Foi constatado também que, antes de chegar ao município de Aparecida, o dono da carreta passou em um posto de gasolina, abasteceu o carro e pagou com uma nota falsa de R$ 20. “Os policiais conduziram o acusado à Polícia Federal, onde foi realizado o auto de prisão em flagrante pelo crime de moeda falsa, com o agravante de tentar introduzir o dinheiro falso no comércio”, finalizou.

Compartilhe este post: