GoiásNotícias
Tendência

Homem em Goiás sofre golpe de “sex-torsão” de meio milhão de reais

As Polícias Civis de Goiás e do Rio Grande do Sul deflagraram a Operação Sem Fronteiras, ação conjunta com o objetivo de desarticular uma associação criminosa que atua em vários estados

As Polícias Civis de Goiás e do Rio Grande do Sul deflagraram, na manhã desta quinta-feira (23/6), a Operação Sem Fronteiras, ação conjunta com o objetivo de desarticular uma associação criminosa que, durante os meses de janeiro, fevereiro e março deste ano, extorquiu um morador da cidade de Rio Verde/GO, cerca de R$ 500 mil reais.

O caso, entitulado pela Polícia de “sex-torsão” envolve cinco pessoas que foram presas temporariamente, alem 12 medidas cautelares de busca e apreensão. De acordo a Polícia Civil de Goiás, foram realizadas buscas e prisões na região metropolitana de Porto Alegre, especificamente nas cidades de Novo Hamburgo, Taquara e São Leopoldo, inclusive em presídios da região metropolitana da capital como Novo Hamburgo, Charqueadas e Montenegro.

ENTENDA O CASO

No início deste ano um homem de 30 anos de idade, morador da Cidade de Rio Verde, iniciou contato com um perfil na rede social Instagram com uma garota. A conversa entre os dois ganhou cunho sexual e, então, um criminoso, se passando por pai dela, entrou em contato o homem dizendo que ela era menor de idade e que as conversas teriam causados “severos constrangimentos”.

A partir desse contato, o criminoso passou a simular necessidade de tratamento psiquiátrico dizendo que a menor pensou até mesmo em suicídio. Assim, exigiu-se da vítima uma compensação financeira para reparar, material e moralmente, tais danos.

O golpe ainda envolveu supostos advogados e agentes da justiça, sempre seguido de pedido de dinheiro sob ameaça de punição legal, o que culminou no prejuízo de aproximadamente meio milhão de reais para a vítima.

De acordo com informações da Polícia, as investigações agora seguem com o objetivo de se identificar novos envolvidos na prática delitiva e também se localizar o dinheiro do crime, de maneira a se viabilizar o ressarcimento à vítima.

A operação foi denominada de Sem Fronteiras, pois os criminosos atuam em estados. Os investigados responderão pelos delitos de estelionato e extorsão.

Leia também no Jornal Diário de Aparecida

Max Menezes escolhe Mendanha e vai contra o próprio partido 

Chalana de milhões: Almir Sater é parado em blitz e é tietado por policiais

 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo