Notícias

Hospital de Campanha oferece atendimento psicológico 24 horas a famílias de pacientes

Com objetivo de minimizar o sofrimento das famílias que têm algum ente querido internado no Hospital de Campanha para Enfrentamento ao Coronavírus (HCamp), em Goiânia, o Governo de Goiás garante apoio e assistência permanente por meio do Departamento de Serviço Social e Psicologia.

A assistente social Janine Veiga explica que as visitas aos internos são proibidas, uma vez que é alto o risco de contágio do novo coronavírus. “Nesse primeiro momento, está desenhado para não acontecerem visitas, nem ter acompanhantes [nos quartos] pelos motivos que já sabemos. Exceções serão tratadas pontualmente, se tiver alguma demanda para criança ou paciente psiquiátrico, por exemplo”, explica a assistente social. “Fazemos contato com as famílias diariamente. Ligamos para que os familiares não fiquem sem contato, apesar de não estarem perto. Esse vínculo é muito importante”.

Esse é o procedimento estabelecido assim que o paciente é admitido no hospital. Já na emergência ou no pronto-socorro, são coletados todos os dados das pessoas pelos assistentes sociais, como telefone e endereço, para que os familiares sejam localizados. A supervisora assistencial do Hcamp, Marta Kelly Nogueira, ressalta que os profissionais do Serviço Social e da Psicologia fazem o contato com as famílias até duas vezes por dia.

A primeira ligação é no período da manhã, para informar o boletim médico, e a segunda é realizada no período da tarde, para mais detalhes. “Estamos com inovação tecnológica em vários sentidos, temos pensado em possibilidades para mediar essa interação família-paciente e ofertar o melhor atendimento”, destaca Marta Kelly.

Inicialmente o hospital disponibilizou mais de 200 leitos, sendo 70 de unidades críticas e 140 de unidades semicríticas. Também poderão ser abertos mais 12 leitos, totalizando a capacidade máxima arquitetônica da unidade de saúde. Os pacientes que chegam ao Hcamp são encaminhados pelo Complexo Regulador Estadual (CRE), que analisa cada caso para que sejam transferidos único e exclusivamente pacientes suspeitos ou já confirmados com a Covid-19.

“O Serviço Social e a Psicologia estão desempenhando um trabalho muito bem feito. Estamos criando uma forma de humanizar ao máximo possível o atendimento”, frisou o diretor-geral do Hcamp, o médico infectologista Guillermo Sócrates. O atendimento psicológico via telefone ou por videoconferência foi autorizado pelo Conselho Federal de Psicologia em razão das restrições de aglomeração de pessoas durante a pandemia. As ligações por videoconferência ainda estão em fase de implantação no Hcamp.

 

Mayara Ferreira

Estagiária supervisionada pelo editor Jorge Borges

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo