Quinta, 15 de Abril de 2021
15 de Abril de 2021

Isolamento social evitou morte de mais de 2800 goianos em três meses, aponta levantamento da UFG

Pesquisadores da UFG divulgaram Nota Técnica nº 5 avaliando o impacto de medidas de distanciamento social durante epidemia da Covid-19, até o dia 2 de junho

Grupo formado por pesquisadores da UFG divulgou, ainda na última quinta-feira, dia 04, um estudo que realizou a simulação de dados atualizados até o dia 2 de junho, sobre o número estimado de óbitos por Covid-19 que puderam ser evitados em Goiás. Segundo a Nota Técnica nº 5, estima-se que as medidas de distanciamento social evitaram entre 2.834 e 3.407 mortes por Covid-19 no estado até o momento. Apenas no município de Goiânia foram evitados entre 927 e 1171 óbitos pelo novo coronavírus graças à adoção do distanciamento social.

Para realizar o estudo os pesquisadores elaboraram um cenário hipotético, sem a implementação das medidas de distanciamento social. A partir desse modelo, foi possível verificar como a progressão da pandemia poderia ter sido vivenciada em Goiás caso as medidas adotadas em abril não tivessem sido tomadas. “Observa-se que o aumento do isolamento social foi capaz de reduzir substancialmente a transmissão do SAR-CoV-2 em Goiás durante os meses de março e abril”, afirma o estudo.

Segundo a modelagem realizada, se nenhuma medida de distanciamento social tivesse sido adotada, até 59% da população goiana já teria sido infectada pela Covid-19. “Através do contraste entre a situação de isolamento social iniciada no mês de abril e a manutenção da rotina no pré-pandemia, fica claro que as medidas implementadas foram capazes de “achatar a curva” da epidemia da Covid-19 em Goiás com impacto significativo na mortalidade”, afirma Thiago Rangel. De acordo com o professor, manter o isolamento social para diminuir a velocidade de propagação acelerada da doença é ainda a melhor forma de evitar novas mortes.

Compartilhe este post: